sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Reclamações contra serviços de atendimento ao consumidor sobem 98% em um ano no RS

 por LEANDRO RODRIGUES

Em 2020, segmento de bancos, financeiras e administradoras de cartão lidera com mais da metade das queixas

As reclamações relativas a Serviços de Atendimento ao Consumidor (SACs), aumentaram 98,2% entre janeiro e outubro deste ano em relação a 2019 no Rio Grande do Sul. O levantamento é do portal de intermediações de conflitos do governo federal, o consumidor.gov.br. 

  

No mesmo período do ano passado, os gaúchos fizeram 2.338 queixas. Já neste ano, foram 4.634. Em 2019, o atendimento das operadoras de telefonia era o alvo da maioria das reclamações. Em 2020, com a crise econômica, a liderança está com o segmento dos bancos, financeiras e administradoras de cartão, com mais da metade das queixas (2.341), a maior parte relativa a crédito pessoal e empréstimos. 

O principal problema relatado foi de demanda não resolvida, não respondida ou com retorno após o prazo. Logo em seguida, veio a dificuldade para cancelar serviços. Em todo o Brasil, as reclamações relativas aos SACs cresceram 66% no período. 

O levantamento nacional será encaminhado às agências reguladoras e aos membros do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC) — que inclui Procons, Ministérios Públicos, Defensorias e entidades civis —para que possam tomar providências. 

Os números, ainda, serão enviados ao Conselho Nacional de Defesa do Consumidor (CNDC), órgão da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que recebeu contribuições para a edição de um decreto em substituição ao 6.523/2008, que regulamenta os SACs. 

 As regras estabelecidas pelo decreto deverão ser seguidas por setores regulados, como energia, água, telefonia, bancos e planos de saúde. Há discussão de ampliar para o comércio eletrônico. 

Reclamações sobre SACs no RS, de janeiro a outubro

  • 2019 -  2.338
  • 2020 -  4.634

Alta de 98%

Segmentos mais reclamados:

Janeiro a outubro de 2019

  • Telefonia, internet, TV por assinatura) - 1.173
  • Bancos, financeiras e administradoras de cartão - 818
  • Transporte aéreo - 176
  • Corretoras e sociedades de seguros, capitalização e previdência - 63
  • Energia elétrica - 62
  • Demais segmentos - 46

Janeiro a outubro de 2020

  • Bancos, financeiras e administradoras de cartão - 2.341
  • Telefonia, internet, TV por assinatura - 1.510
  • Transporte aéreo - 378
  • Energia elétrica - 119
  • Corretoras e sociedades de seguros, capitalização e previdência - 110
  • Demais segmentos - 176

Fonte: Zero Hora - 19/11/2020 e SOS Consumidor

Nenhum comentário:

Postar um comentário