quinta-feira, 12 de novembro de 2020

MAIS UMA POBRE REAÇÃO DO PRIMEIRO-MINISTRO

 


RETOMADA DO TURISMO

Ontem, tão logo tomei conhecimento da REAÇÃO do PRIMEIRO MINISTRO DO BRASIL, Rodrigo Maia, sobre as declarações que o presidente Bolsonaro fez durante a cerimônia -RETOMADA DO TURISMO-, realizada na parte da tarde no Palácio do Planalto, antes de tudo tratei de assistir, na íntegra, a fala do Chefe do Executivo, que durou cerca de 20 minutos. A propósito, para que os leitores não se deixem levar, tanto pela reação do PRIMEIRO MINISTRO quanto da MÍDIA ABUTRE, clique no link (https://youtu.be/4NecuGV5968) e, como eu, assista do início ao fim. 

QUATRO EIXOS

Como já era esperado, infelizmente, nenhum meio de comunicação -abutre-, e muito menos o PRIMEIRO-MINISTRO Maia, se ateve ao tema que foi tratado na cerimônia, qual seja o LANÇAMENTO, por parte do governo federal, de um CONJUNTO DE MEDIDAS PARA ESTIMULAR E ACELERAR A RECUPERAÇÃO DO -DESTRUÍDO- TURISMO NO PAÍS, impactado fortemente pela PARALISAÇÃO DAS ATIVIDADES TURÍSTICAS. As ações propostas têm quatro eixos:


1-PRESERVAÇÃO DE EMPRESAS E EMPREGOS NO SETOR DE TURISMO;


2- MELHORIA DA ESTRUTURA E DA QUALIDADE DE DESTINOS;


3- IMPLANTAÇÃO DOS PROTOCOLOS DE BIOSSEGURANÇA; e,


4- PROMOÇÃO E INCENTIVOS ÀS VIAGENS.


DESABAFO - NADA MAIS DO QUE UM DESABAFO

Pois, para infelicidade geral da Nação Brasileira, tudo que a IMPRENSA ABUTRE, assim como o PRIMEIRO-MINISTRO Maia, extraíram do evento foi o DESABAFO do presidente Bolsonaro no início da cerimônia. Um deles, sobre a DECLARADA AMEAÇA do presidente -eleito- dos Estados Unidos, Joe Biden, de aplicar sanções econômicas ao Brasil, caso não haja atuação mais firme para combater o desmatamento e as queimadas na Amazônia, Bolsonaro disse que “apenas pela diplomacia” não daria. “Depois que acabar a saliva, tem que ter pólvora. Não precisa nem usar a pólvora, mas tem que saber que tem”. Outro, quando se referiu à PANDEMIA COVID-19, Bolsonaro disse que o Brasil precisa deixar de ser “UM PAÍS DE MARICAS" e enfrentar a doença. “Tudo agora é pandemia, tem que acabar com esse negócio, pô. Lamento os mortos, lamento. Todos nós vamos morrer um dia, aqui todo mundo vai morrer. Não adianta fugir disso, fugir da realidade. 

HOLOFOTES

Maia, com o propósito de ganhar os holofotes cunhou a seguinte frase, que foi imediatamente para as manchetes da MÍDIA ABUTRE: “Entre pólvora, maricas e o risco à hiperinflação, temos mais de 160 mil mortos no País, uma economia frágil e um Estado às escuras. Em nome da Câmara dos Deputados, reafirmo o nosso compromisso com a vacina, a independência dos órgãos reguladores e com a responsabilidade fiscal. E a todos os parentes e amigos de vítimas da covid-19 a nossa solidariedade”. Como se percebe, nenhuma palavra foi dita sobre a necessária RETOMADA DO TURISMO!

ECONOMIA

Ora, como se vê, o PRIMEIRO MINISTRO Maia adora fazer pronunciamentos sobre ECONOMIA. E, não raro, de forma escancaradamente MENTIROSA. Ontem, por exemplo, Maia disse TER COMPROMISSO COM A INDEPENDÊNCIA DE ÓRGÃOS REGULADORES e com a RESPONSABILIDADE FISCAL. Quanta mentira...Isto, dois dias após ter afirmado que a AUTONOMIA DO BANCO CENTRAL (que se trata de uma clara INDEPENDÊNCIA do ÓRGÃO REGULADOR DO SISTEMA FINANCEIRO) não é urgente. Da mesma forma, por não agilizar as REFORMAS, assim como não se opor aos AUMENTOS DE DESPESAS PÚBLICAS, que são aprovadas sistematicamente na Câmara, Maia mostra ter muito interesse na hiperinflação.

ELEIÇÃO PORTO ALEGRE

Volto a lembrar que dentre bons candidatos que concorrem a vereador em Porto Alegre, sugiro os seguintes nomes:


Felipe Camozatto, do NOVO - 30500


Fernanda Barth, do PRTB - 28028


Ramiro Rosário, do PSDB - 45678


 


E, para Prefeito,  meu voto vai para a dupla -SEBASTIÃO MELO/ RICARDO GOMES-   15


BANRISUL REGISTRA LUCRO



O Banrisul registrou lucro líquido de R$ 495,1 milhões nos 9 meses de 2020, 46,0% inferior ao lucro líquido ajustado do mesmo período de 2019. O retorno anualizado foi de 8,2% sobre o patrimônio líquido médio. O desempenho no período reflete, especialmente, redução da margem financeira, maior fluxo de despesa de provisão para perdas de crédito, despesas com provisões de perdas em processos trabalhistas, retração das receitas de tarifas e de serviços, redução das despesas administrativas, entre outros fatores. O patrimônio líquido atingiu R$ 8,4 bilhões em setembro de 2020, aumento de R$ 620,0 milhões ou 8,0% em 12 meses. Os ativos totais apresentaram saldo de R$ 90,2 bilhões em setembro de 2020, com crescimento de 11,8% em relação ao registrado em setembro de 2019, ampliação proveniente, especialmente, do crescimento na captação de depósitos. Os recursos captados e administrados alcançaram saldo de R$ 78,5 bilhões em setembro de 2020, incremento de R$ 8,4 bilhões ou 12,0% em relação ao mesmo mês de 2019, compostos, principalmente, por depósitos a prazo, de poupança e à vista.



145 ANOS DA IMIGRAÇÃO ITALIANA



Desde o dia 09 de novembro, os visitantes e clientes do Bourbon San Pellegrino poderão conferir a exposição 145 Anos da Imigração Italiana. A mostra apresenta, em painéis localizados no mall do empreendimento, 32 imagens que apresentam os primeiros anos da ocupação italiana na região colonial do Rio Grande do Sul. A exposição é uma parceria do Bourbon San Pellegrino com a Divisão de Museus Municipais de Caxias do Sul e com o Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami. A entrada para a exposição é gratuita e aberta ao público. 


  


As fotografias exibidas foram doadas às instituições pela comunidade, e o acervo retrata as famílias de imigrantes, em sua maioria, que fizeram e fazem parte da história caxiense. Dentre as fotos destacadas, estão algumas imagens do álbum “Recordação das Colônias Conde D’Eu, Dona Isabel, Alfredo Chaves, Antônio Prado e Caxias”, confeccionado por volta de 1897 com o intuito de mostrar o processo de imigração na Região Nordeste do Rio Grande do Sul. As imagens escolhidas contam um pouco da trajetória das famílias, do convívio, das brincadeiras das crianças, do trabalho e representam momentos e eventos importantes na história local e na vida cotidiana das pessoas, valorizando as relações humanas. O álbum faz parte do Fundo Arquivo da Diretoria da Colônia Caxias e da Comissão de Terras e Medição dos Lotes.  


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário