terça-feira, 28 de julho de 2020

Vacina contra a covid-19 pode estar no SUS em janeiro de 2021, diz Doria

Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Vacina contra a covid-19 pode estar no SUS em janeiro de 2021, diz Doria
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira que a vacina contra a covid-19 poderá estar disponível para a população a partir de janeiro de 2021. Caso os testes sejam concluídos com bons resultados, a vacina poderá ser produzida mediante autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária já na segunda quinzena do mês de novembro ou nos primeiros dias de dezembro. Segundo o governador, após essa etapa será possível produzir a quantidade necessária para a imunização dos brasileiros em todo o país através do Sistema Único de Saúde (SUS). 
Arte Exame
Examinando: como serão as viagens após a pandemia do coronavírus?
Viajar para o Caribe por 1.000 reais e para a Grécia por apenas 4.000 reais. Muito bom para ser verdade? Em momentos normais, essas possibilidades parecem impossíveis, mas, com os efeitos da pandemia do novo coronavírus no setor do turismo, promoções assim são cada vez mais comuns na internet. Mas com os preços chamativos surgem diversas dúvidas: é seguro comprar? Vou perder meu dinheiro? Pode ser um golpe? Assista ao Examinando de hoje. 
FatCamera/Getty Images
Covid-19 faz com que as maternidades criem pré-natal online e transmissão de parto
Os corredores, sala de espera e quartos de uma maternidade costumavam ser locais de encontros e abraços. Com a pandemia, essas cenas ficaram no passado e protocolos de distanciamento e restrição de visitas foram implementados. Visita virtual, pré-natal online e transmissão do parto são algumas das medidas tecnológicas adotadas pelas maternidades. Algumas também estão testando gestantes e acompanhantes e criando alas exclusivas para pacientes com coronavírus.
Jonne Roriz/Bloomberg via Getty Images
Imunidade coletiva contra covid-19 pode ser possível com 20% de infectados
Um estudo preliminar aponta que de 10% a 20% da população de um local precisa ser infectada pelo novo coronavírus para que consigamos alcançar a imunidade de rebanho pela doença. Para chegar ao resultado, os pesquisadores utilizaram um modelo matemático desenvolvido em uma colaboração com cientistas brasileiros, portugueses e britânicos. A teoria da imunidade consiste no efeito de proteção que surge nas pessoas quando grande parte se vacinou contra uma doença — assim, mesmo quem não tomou a vacina fica protegido.
Hagen Hopkins/Getty Images
É fato: países com líderes mulheres vão melhor contra a covid-19. Por quê?
Os dez países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus são liderados por homens. Com base nesse fato, foi realizada uma pesquisa que compara países como Irlanda, Nova Zelândia, Reino Unido e Alemanha para apontar evidências de que os locais governados por mulheres tiveram menos mortes e menos casos de coronavírus até agora. Um dos pontos levantados no estudo é que esses lugares entraram em lockdown (bloqueio total das atividades) ou quarentena rigorosa mais cedo, quando ainda havia poucos casos de covid-19, na comparação com as localidades de perfil semelhante governadas por homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário