domingo, 26 de julho de 2020

Saiba como eliminar a umidade da sua casa

Aprenda a reduzir o impacto da umidade no inverno gaúcho



Ah, o inverno gaúcho… Famoso pelo seu frio rigoroso, ele também traz consigo um problema que pode ser considerado recorrente da estação: a umidade do ar. As paredes da sua casa ficaram escorrendo água nas últimas semanas? Conforme explicam os arquitetos e professores do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unisinos, Daniela Mussolini e Tiago Silva, durante uma sequência de dias frios, as paredes internas esfriam. Quando ocorre um aquecimento brusco da temperatura externa, o ar quente entra em contato com a superfície fria ocasionando condensação, assim temos a presença de bastante umidade interna.
Neste caso, devemos correr e abrir todas as janelas, certo? Errado! “O ideal é evitar abrir janelas e aguardar que se estabilize a temperatura interna com a externa. Assim, evitamos a condensação nas paredes”, esclarecem os arquitetos. O uso de fontes de aquecimento, como a lareira e também ar condicionado, auxilia na diminuição da umidade interna”, reforçam os arquitetos. “Também é importante ventilar os ambientes diariamente, para evitar o acúmulo de umidade em móveis e paredes e garantir o acesso solar aos mesmos”, complementam.
Além das condições climáticas, existem alguns outros fatores que influenciam na presença de umidade nos ambientes. A maneira que as casas e edifícios são construídos também deve ser levada em conta. “Em primeiro lugar, em uma nova construção, é muito importante estudar a orientação solar e ventos predominantes durante o projeto. Assim teremos a presença do sol e da ventilação cruzada nos ambientes, fatores que influenciam na presença ou não da umidade. O acesso à incidência solar e à ventilação são fatores primordiais”, destaca Daniela. “Outros fatores essenciais estão relacionados aos aspectos construtivos, como por exemplo, a residência ser elevada em relação ao solo em locais com muita umidade e a presença de janelas em paredes opostas para garantir ventilação cruzada. Também devemos atentar para bons níveis de impermeabilização da estrutura em relação ao solo”, complementa Tiago.

Evite o problema na hora de comprar ou construir

Está construindo ou pensando em comprar uma casa? Fique atento aos pontos abaixo para evitar ou diminuir o excesso de umidade no ambiente:
- Ambientes de maior permanência, como dormitórios e estar devem ser voltados para orientação solar adequada (preferencialmente norte e leste);
- Ambientes voltados para orientação sul são mais frios e úmidos, pois não possuem incidência solar na nossa região (latitude);
- Ambientes integrados garantem maior fluidez na ventilação natural, que é uma das principais estratégias para evitar a umidade;
- Atentar ao dimensionamento das aberturas para que os níveis de iluminação e ventilação naturais sejam adequados ao tamanho do ambiente;
- Sempre é recomendada a presença de profissional habilitado para que problemas futuros sejam evitados.

A umidade já existe. Como lidar com o problema?

Se você já está passando pelo problema, há também maneiras de amenizar. O coordenador do curso de pós-graduação em Engenharia de Refrigeração e Climatização da PUC-RS, Bruno Ribeiro, destaca que é importante verificar se a umidade que estamos observando é de origem climática, de vazamentos, ou problemas de umidade em função de da baixa exaustão, como por exemplo banheiros onde há janela para o lado externo. “Quando a umidade é de origem climática, isto é, quando o ar atmosférico está altamente úmido, próximo a casa de 100% de umidade relativa, existe o fenômeno de condensação - que ocorre quando esta umidade presente no ar, encontra uma superfície com baixa temperatura e condensa - este é aquele efeito da ‘parede suada’, onde notam-se pingos e água escorrendo por ela”, explica. 
O professor alerta que a umidade excessiva, em geral, causa uma série de complicações, desde problemas respiratórios, proliferação de micro-organismos, além de mau odor. Ele nos dá algumas dicas para prevenir este fenômeno. Confira:
1) Permitir a entrada do sol, especialmente pela manhã - o aquecimento permite que o ar expanda, em função do aumento de temperatura, diminuindo sua umidade relativa;
2) Permitir a ventilação cruzada: sabe quando abrimos uma janela na sala e outra no quarto e começa a bateção de portas na casa? Este fluxo de ar, chamado ventilação cruzada dilui e carrega a umidade do ambiente;
3) Combinar as duas opções acima;
4) Não deixar a casa fechada por muito tempo. Arejar a casa promove periodicamente a renovação do ar;
5) O ar-condicionado é um desumidificador natural: quando ligado, promove a remoção da umidade no ambiente que vai para o dreno. No entanto, é importante ressaltar que é uma opção que consome energia;
6) Cultivar plantas pode ajudar a reter a umidade;
7) Se seu banheiro tem janela para o ambiente externo, procure sempre deixá-la aberta após o banho quente. Caso não houver, verifique se há possibilidade de instalação de um exaustor para o chaft;
8) Caso a umidade invada sua casa, importante promover a limpeza com químicos antifúngicos.
 
por Mariana Nunes

Mariana Nunes é jornalista. Ama café, praia, chocolate e futebol - não necessariamente nessa ordem. É torcedora fervorosa do Internacional e repórter do Bella Mais. @a_marinunes



Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário