terça-feira, 8 de outubro de 2019

Gasto de brasileiros com tarifas bancárias cresce 150% em quase dez anos, diz IBGE

por Tássia Kastner, Eduardo Cucolo e Nicola Pamplona

Tarifas-Banca?rias-–-servic?os-que-na?o-podem-ser-cobrados.jpg

Em 2018, esse custo consumia 1% da renda das famílias, ante 0,4% em 2009 A concorrência das fintechs e seus serviços financeiros sem custos não foi suficiente para deter o crescimento do peso das tarifas bancárias sobre o orçamento das famílias.

A nova edição da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares), divulgada nesta sexta (4) pelo IBGE, que mapeou os hábitos de consumo dos brasileiros, mostra que cresceu 150% a fatia da renda dos brasileiros destinada aos bancos em um período de quase dez anos

Em 2018, esse custo consumia 1% da renda das famílias, ante 0,4% no levantamento anterior, realizado em 2009.

Nesse intervalo de tempo, cresceu 34% o número de cartões de crédito ativos no sistema financeiro.

As tarifas de anuidade avançaram ao redor de 80%, já descontada a inflação, segundo dados do Banco Central, divulgados no mês passado. Isso ocorreu mesmo com a ascensão dos cartões isentos de anuidade nos últimos anos.

Houve também expansão no uso dos cartões de débito, 67%, que pode funcionar como uma medida do crescimento da bancarização, já que movimentam contas corrente, poupança e salário.

O Banco Central não tem uma série tão longa de inclusão financeira, mas mostrou que, em 2017, 86,5% dos brasileiros com mais de 15 anos tinham uma conta bancária.

Ainda que alguns dados do BC comecem a indicar uma desconcentração do setor financeiro em ativos e crédito, os cinco maiores bancos —Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander— ainda têm cerca de 80% do mercado.

E foi justamente nesses quase dez anos, que abarcam bonança e uma recessão econômica, que eles elevaram tarifas de serviços para acima da inflação.

A medida serviu para compensar a menor receita com crédito, já que estavam pouco dispostos a emprestar em um cenário de risco de calote pelo desemprego elevado.

Isso fica demonstrado no crescimento das receitas dos bancos com tarifas nesse período, que também mais que dobrou. No caso do Bradesco, a alta é de 169% —ante uma inflação acumulada no período é de 70%.

Fonte: Folha Online - 04/10/2019 e SOS Consumidor


CONGRESSO

Câmara registra o menor gasto com cota parlamentar desde 2010

Gasto de R$ 85 mi até junho

ECONOMIA

Governo abre temporada de leilões de petróleo e gás de 2019

3 certames programados para este ano

GOVERNO

Bolsonaro dispara contra mídia: ‘Querem me derrubar? Tenho couro duro’

Presidente falou ao sair do Alvorada

Análise

Meta de conseguir benefícios do Estado é disseminada na sociedade

Resultado é alta carga tributária

INTERNACIONAL

Papa pede respeito a indígenas da Amazônia: ‘Ideologias são uma arma perigosa’

Pontífice discursou nesta 2ª (7.out)

JUSTIÇA

Renan Calheiros pede à OAB suspensão de Janot para ‘apuração toxicológica’

Protocolou pedido em 4.out

INTERNACIONAL

Presidente do Equador muda sede do governo de Quito para Guayaquil

Onde de protestos assola o país

CONGRESSO

‘Flávio Bolsonaro pra mim acabou, não existe’, diz Major Olímpio

Flávio atua contra CPI da Lava Toga

CONGRESSO

Pivô de controvérsia, estátua de Ulysses Guimarães é inaugurada na Câmara

Escultura tem 1m80cm e 110kg

Opinião

Os 3 inimigos de Paulo Guedes, escreve Traumann

Ministro dispõe de pouco tempo

Opinião

Estados, municípios e a cessão onerosa, escreve Adriano Pires

Distruibuição de bônus é impasse


Nenhum comentário:

Postar um comentário