quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Jaques Wagner gasta 35 mil reais do cotão para ‘consultoria em projetos sociais’

Por Diego Amorim

O senador petista Jaques Wagner informou ao Senado que gastou, em 2019, 35 mil reais da cota parlamentar — dinheiro público — para contratar o serviço de “consultoria em projetos sociais” de uma empresa chamada Mobilis – Agência de Mobilização Social.

A empresa foi criada em 2003, primeiro ano do governo Lula, e está no nome de Juliana Maria Alves Ladeira, que atualmente ocupa um cargo de chefia na Prefeitura de São Gotardo, no interior de Minas Gerais. O prefeito é o petista Seiji Eduardo Sekita.

O site oficial da empresa está fora do ar. A página no Facebook só esteve atualizada entre 2011 e 2017 — uma das últimas postagens é a transmissão de um evento sobre “os desafios da democracia” do qual Fernando Haddad participou.

O primeiro endereço registrado da empresa era uma casa no Lago Norte, bairro nobre de Brasília. Já o que consta nas notas ficais de Jaques faz menção a duas salas em um prédio comercial também de Brasília.

Atualização: José Ricardo Fonseca, um dos gerentes da empresa, retornou as ligações de O Antagonista e informou que a equipe formada por “especialistas em democracia participativa, mobilização social e políticas públicas em geral” preparou estudos e cursos que podem servir de base para a elaboração de projetos de lei e outras iniciativas por parte do senador petista. Ele acrescentou que a empresa é uma associação sem fins lucrativos com atuação nacional e experiência, por exemplo, em realização de conferências sobre políticas públicas. Fonseca informou, ainda, que Juliana Maria Alves Ladeira deixou o cargo de coordenadora da empresa depois que assumiu o cargo público em Minas Gerais.


O Antagonista

Nenhum comentário:

Postar um comentário