segunda-feira, 20 de junho de 2022

TENTATIVA E ERRO - 20.06.22

 Por Roberto Rachewsky


 


Margareth Thatcher foi a melhor líder que o mundo ocidental viu governar desde que Calvin Coolidge presidiu os Estados Unidos da América entre 1923 e 1929. Governou o Reino Unido por 11 anos, tempo suficiente para livrar os britânicos do socialismo, ideologia que trouxe decadência moral e econômica. A Dama de Ferro, como era conhecida, tinha uma visão utilitarista da democracia. Afirmava que este sistema não garantia a condução dos melhores ao poder, mas permitia que os piores fossem tirados de lá. Democracia é uma espécie de aplicação política do método empírico de tentativa e erro, tentativa e erro, tentativa e erro. Aqui no Brasil, de tempos em tempos, temos tentado e errado, tentado e errado, tentado e errado. Por que o sistema democrático brasileiro não entrega resultados melhores como vemos acontecer em países mais desenvolvidos? Respondo a pergunta com uma citação da própria Thatcher: "Ser democrático não é suficiente, uma maioria não pode transformar o que está errado em certo. Para serem considerados verdadeiramente livres, os países também devem ter um profundo amor pela liberdade e um respeito permanente pelo Estado de Direito.". Infelizmente, o Brasil é um país cujo povo está conformado com o seu papel de vítima que sanciona seus algozes. O estado brasileiro tem se comportado como uma organização criminosa que se utiliza da força para controlar e espoliar aqueles que lhe concederam o monopólio da coerção, imaginando que seriam protegidos da violência. O governo em todas as suas instâncias e jurisdições tem violado direitos individuais que são inalienáveis. Os direitos à vida, à liberdade, à propriedade e à busca da felicidade que todo indivíduo é dotado, não podem estar à mercê de ninguém, nem daqueles que foram eleitos democraticamente para cargos no Executivo e no Legislativo, nem daqueles que têm poder contramajoritário para defenderem o Estado de Direito à revelia do que pensa a maioria da população, como é o caso dos integrantes do Supremo Tribunal Federal. Vamos seguir tentando e errando, tentando e errando, tentando e errando até o dia em que cada brasileiro amar a liberdade e os que detém o poder coercitivo por outorga do povo, entenderem que Estado de Direito é o império das leis, criadas para protegerem nossa vida, liberdade e propriedade.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário