sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Presidente do Santos critica árbitro de confronto com o Grêmio e promete reclamação na Conmebol

 Juiz assinalou penalidade no último minuto da partida a favor do Tricolor por toque de mão de Vinicius Baliero



O presidente do Santos, Orlando Rollo, prometeu acionar a CBF e a Conmebol para fazer uma reclamação formal contra a arbitragem do empate com o Grêmio, por 1 a 1, na noite de quarta-feira, em Porto Alegre. A partida foi válida pela ida das quartas de final da Copa Libertadores.

Rollo reclamou da atuação do árbitro paraguaio Juan Benítez e não poupou críticas ao VAR. "A arbitragem foi tenebrosa, péssima, ruim. Não digo nem que foi uma arbitragem tendenciosa, o árbitro é que é ruim mesmo, é um trapalhão, já teve problemas anteriores", disse o presidente santista.

O dirigente prometeu recorrer às entidades para solicitar uma arbitragem melhor nos próximos jogos do Santos. Na quarta, presidente, comissão técnica e elenco santistas ficaram insatisfeitos com a marcação de um polêmico pênalti a favor do Grêmio nos acréscimos do segundo tempo. Diego Souza acabou empatando a partida na penalidade, aos 56 minutos.

"Nós vamos reclamar na CBF, vamos reclamar na Conmebol. A gente é chato nessa questão de reclamação. A gente reclama mesmo e a gente vai lá reclamar pessoalmente. Vou pedir mais uma vez o apoio, a ajuda, do presidente da CBF pra que isso não volte a acontecer", declarou Rollo.

O presidente do Santos também atacou o árbitro de vídeo. E disse que a ferramenta "está acabando com o futebol". "A culpa também é do VAR, está acabando com o futebol. Essa é a verdade. O torcedor não aguenta mais ficar esperando cinco, dez, 15 minutos, às vezes, por uma decisão", afirmou.

"O VAR perdeu o seu sentido. O VAR foi criado justamente para acabar com a polêmica no futebol, para que os lances sejam claros, cristalinos. Mas não é isso que acontece. O VAR hoje é interpretação, cria mais problemas do que solução. Eu sou favorável a terminar com o VAR. O VAR não serve para nada, só serve para arrumar mais confusão no futebol."


Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário