quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Operação Verão Total começa no Rio Grande do Sul

 Ação do governo do Estado segue até o dia 28 de fevereiro de 2021



Com o foco na prevenção ao Covid-19, a Operação RS Verão Total já começou os seus trabalhos, indo até o dia 28 de fevereiro de 2021, conforme explicou o Major Isandre Antunes, chefe de operações do Corpo de Bombeiros Militar do Estado (CBMRS). Neste ano, por causa da pandemia, a cerimônia de abertura da operação foi cancelada, assim como não haverá a tradicional festa de formatura dos guarda-vidas nesta quinta-feira – eles simplesmente serão deslocados diretamente para os seus postos de trabalho. De acordo com o oficial, todo o planejamento foi pautado com os mesmos moldes do ano passado, mas em uma situação completamente atípica, devido a pandemia do coronavírus.

Conforme o Major Antunes, haverá atendimento em todo o Litoral Norte do Rio Grande do Sul, sendo atendidas as praias desde Torres até Quintão, além do Litoral Sul. Também haverá reforço policial, fiscalização nas estradas, monitoramento semanal da qualidade das águas e chuveirinhos em balneários e praias. “Temos um efetivo de 800 pessoas, entre militares e civis”, afirmou Antunes. 

“Os guarda-vidas irão atuar mais na orientação dos banhistas do que na repressão. Ou seja, tentar mostrar a eles o problema da aglomeração, sem nunca abandonar o seu posto de trabalho para remover ninguém. Em caso de problemas, haverá a solicitação para a intervenção da Guarda Municipal ou da Brigada Militar para sim, atuar na forma repressiva”, destacou o major. O lema da corporação, afirmou o oficial, é “se podemos vê-lo, podemos protegê-lo”, ou seja, para que o banhista fique sempre próximo das guaritas, à vista dos guarda-vidas, mas sempre evitando aglomerações.

O Major recomenda ainda para que os veranistas que estejam sentindo sintomas febris, não vá para a praia, procurando ajuda médica ou se resguardando, para evitar possível contágio. “A máscara segue sendo obrigatória na faixa da areia, só sendo permitida sua retirada quando o banhista entrar na água”, destacou. Ele ressaltou que os guarda-vidas não tem a obrigatoriedade de utilizar máscaras quando em seus postos de vigia (guaritas), mas quando descem para interagir com o público, devem colocá-las.

O Corpo de Bombeiros Militar conta ainda com 15 quadriciclos e 14 motos-aquáticas para ampliar o atendimento nas 242 guaritas espalhadas por todo o litoral (212 Litoral Norte, 30 litoral sul e 50 postos de salvamento nas águas internas). Na Segurança Pública, 3,4 mil servidores de cinco instituições irão reforçar as praias, balneários e águas internas do Estado no período da Operação. Para garantir a segurança dos veranistas e reforçar as ações de combate à Covid-19 estarão disponíveis, além dos guarda-vidas, 1.302 policiais militares, 1.040 bombeiros, 978 policiais civis e 78 servidores do Instituto-Geral de Perícias (IGP e 24 servidores do Detran RS.

O IGP terá Postos de Identificação nas cidades de Osório, Tramandaí, Torres e na Praia do Cassino; um Posto de Criminalística em Capão da Canoa e um Posto Médico-legal em Osório, com objetivo de acelerar os laudos periciais realizados durante a operação e confeccionar carteiras de identidade (nas modalidades expressa e convencional). Polícia Civil, Brigada Militar e Detran RS atuarão em ações de fiscalização, com a Balada Segura e na conscientização da população no enfrentamento a pandemia. A presença da Brigada na orla das praias será ampliada, por meio de seis bases móveis comunitárias que estão sendo instaladas em Torres, Capão da Canoa, Xangri-lá, Tramandaí e Cidreira, com ações de reforço na fiscalização dos protocolos sanitários.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário