quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Número de abortos nos EUA alcança menor patamar da história

Número de abortos nos EUA alcança menor patamar da história


Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

As taxas de abordo foram reduzidas em quase todos os Estados do território norte-americano.

O número de abortos nos Estados Unidos alcançou o menor patamar da história. A notícia com toda certeza foi bem recebida pelo chefe da Casa Branca, o direitista Donald Trump.

As informações estão contidas em relatório divulgado, nesta quarta-feira (18), pelo Guttmacher Institute.

O instituto pró-aborto estima que houve mais de 862 mil abortos em 2017, cerca de 200 mil a menos do que em 2011.

A taxa de aborto — número de abortos a cada mil mulheres em idade reprodutiva — caiu de 16,9 em 2011 para 13,5 em 2017, a menor desde que o aborto se tornou legal em todo o país em 1973.

Os autores do estudo disseram que o número de procedimentos abortivos para 100 gestações, que terminaram em aborto ou nascimento, foi de 18,4 em 2017, enquanto em 2011 ele foi de 21,2, informa o jornal Estadão.


Renova Mídia


CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO -
CAPÍTULO 4
XVIII- 236/18 - 19.09.2019

________________________________________

LIVRO - O RIO GRANDE TEM SAÍDA?

Inicio este CAPÍTULO 4 tomando por base o que escreveu, em 2014, o pensador Darcy Francisco Carvalho dos Santos, no seu livro  -O RIO GRANDE TEM SAÍDA? - Uma análise das potencialidades e dos entraves para o desenvolvimento-.

SERES CELESTIAIS

Pois, passados CINCO ANOS desde o lançamento da excelente OBRA-DIAGNÓSTICO mostrado pelo competente economista, a sociedade gaúcha simplesmente -DEU DE OMBROS- como se acreditasse que a SOLUÇÃO da gravíssima situação das CONTAS PÚBLICAS do RS dependesse da vontade de SERES CELESTIAIS.

GOVERNANTES POPULISTAS

Pois, na medida em que a sociedade gaúcha foi percebendo que os SERES CELESTIAIS se negavam a atender ao chamado para fazer o CONSERTO, a alternativa que encontrou foi a CONTRATAÇÃO, através do voto, de GOVERNANTES POPULISTAS que, sabidamente, pioraram ainda mais aquilo que já estava podre.

POR VONTADE PRÓPRIA OU POR MORTE

O fato, que precisa ser constantemente DITO E ESCLARECIDO,  é que o ambiente ocupado por SERVIDORES PÚBLICOS só tem PORTA DE ENTRADA. Ou seja, depois que ingressam no SETOR PÚBLICO, os servidores só podem sair da FOLHA DE SALÁRIOS - 1) por vontade própria; ou, 2) por morte. Atenção:  SERVIDOR PÚBLICO é aquele que está trabalhando (ATIVO), e aquele que já deixou de trabalhar (INATIVO).


NOVA CONSTITUINTE

O que precisa ser DITO E REPETIDO milhões de vezes, até que fique bem claro e entendido, é que a CONSTITUIÇÃO abriga certas LEIS que, simplesmente, NÃO PODEM SER ALTERADAS (é o caso, por exemplo, das CLÁUSULAS PÉTREAS, que só podem ser modificadas e/ou extintas por vontade de uma NOVA CONSTITUINTE). É o caso da ESTABILIDADE NO EMPREGO e do DIREITO ADQUIRIDO.

A FACE DO CAOS

Como as FOLHAS DE SALÁRIOS de vários Estados e Municípios consomem mais de 70% da Receita Corrente Líquida, e seus GOVERNANTES -POPULISTAS- , além de autorizar reajustes salariais ainda tratam de repor os servidores que se aposentam, a DESPESA DE PESSOAL SÓ AUMENTA. De novo: depois de contratar, por concurso, esta DESPESA não tem como ser cortada.

Em tese: enquanto não for escrita uma NOVA CONSTITUIÇÃO eliminando estes absurdos, o Rio Grande do Sul e outras unidades da federação seguirão escancarando a legítima face do CAOS!

MARKET PLACE 

REFORMA TRIBUTÁRIA - Ontem, o fundador do Instituto Atlântico, o pensador e economista Paulo Rabello de Castro entregou ao ministro Paulo Guedes a proposta do IA sobre a Reforma Tributária.

O estudo subscrito também pelo jurista e colaborador, Prof. Miguel Silva, apresentou as recomendações do Atlântico baseadas em três princípios: SIMPLIFICAÇÃO, COMPETIÇÃO E DESONERAÇÃO.

Entre as principais vantagens da proposta do Atlântico estão:

- A definição do campo de atuação de cada ente tributante;
- Facilita o Pacto Federativo;
- Produz partilha automática e instantânea da arrecadação;
- Dispensa Fundos de Compensação;
- Mantém incentivos e vantagens até a data da reforma;
- Defende o cidadão/contribuinte mais pobre.
- Implementadas essas recomendações, aliadas a um corte linear das despesas correntes do Governo, teremos como destravar a economia e liberar investimentos represados pelo atual estado das contas públicas.
SHOW - No dia 20 de setembro, o Boulevard Assis Brasil promove show de Wilson Paim para celebrar o dia da Revolução Farroupilha. Apresentado canções que marcaram o tradicionalismo gaúcho, o cantor toca ao lado da sua banda a partir das 18h na praça de alimentação do empreendimento. O repertório inclui Prenda Minha, Fogão de Lenha, Casinha Branca, Querência Amada e Louco por Chamamé.

ESPAÇO PENSAR+

Eis o texto do pensador Roberto Rachewsky, a propósito do cancelamento da venda de ações do Banrisul, com o título -A TURMA DE PELOTAS-

A venda de ações do Banrisul pretendida pelo governador Eduardo Leite “micou”. O mercado disse claramente que apesar do preço de liquidação, não há interesse por parte dos investidores em se associarem a um banco estatal ineficiente e atrelado ao poder político, coercitivo e imoral. Isso não significa que o mercado deixou seu pragmatismo de lado e passou a atrelar ganhos eventuais a uma ética adequada.

Não!

O mercado está dizendo claramente que colocar dinheiro numa instituição cujo dono está falido não é algo muito inteligente de se fazer. É só esperar um pouquinho que o falido vai entregar suas ações e o poder que detém como sócio majoritário a preços ainda menores do que esses que foram oferecidos agora.

A tentativa de se livrar de um problema de curto prazo com uma solução de prazo curto, não funcionou. O governador, se tiver juízo, deveria começar imediatamente a tratar da privatização total do Banrisul, bem como do Badesul e da sua parte no BRDE, para começar.

Não é função de um governo empresariar. Governo empresário é perdulário, monopolista, mau prestador de serviço e careiro. Um governo com um banco então ainda é pior, alicia aliados e ameaça adversários através do poder econômico que não deveria ter.

Eduardo Leite que é pelotense deveria convidar seu conterrâneo Mateus Bandeira para descascar esse abacaxi, como fez com Eduardo Macluf, outro pelotense que ainda é xará do governador, a quem colocou no Badesul.

Só existem três soluções para os problemas do estado: corte de gastos, desregulamentação e privatização. Tenho certeza que o Mateus Bandeira daria um ótimo secretário extraordinário de Cortes de Despesas, Desregulamentação e Privatizações do Estado do Rio Grande do Sul. Se o Mateus iria concordar, só o governador convidando para sabermos.

FRASE DO DIA

Numa burocracia, a genialidade é sempre uma aberração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário