sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Bolsonaro caminha pelo corredor do hospital

Previsão médica é que presidente tenha alta em três ou quatro dias

Bolsonaro agradeceu aos médicos durante live em rede social

Bolsonaro agradeceu aos médicos durante live em rede social | Foto: Facebook / Divulgação / CP

PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro caminhou três vezes nesta sexta-feira, informou o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros. Nesta tarde, a assessoria da Presidência divulgou um vídeo em que Bolsonaro aparece caminhando, orientado pela equipe médica, no corredor do Hospital Vila Nova Star, onde ele está internado desde o último sábado.

Segundo Rêgo Barros, o presidente está "muito bem". O cirurgião-chefe da equipe que acompanha Bolsonaro, Antônio Luiz Macedo, passou pelo hospital hoje, por volta de 12h, e voltará no fim da noite para nova visita a Bolsonaro. O presidente está acompanhado pela esposa, Michele Bolsonaro, e pelo filho, o vereador Carlos Bolsonaro.

Os planos de viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos para participar da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) estão mantidos. A previsão é de ida no dia 22 deste mês e volta no dia 25, disse Rêgo Barros. O porta-voz informou que, antes da viagem, a equipe médica que assiste o presidente vai a Brasília para sua condição de saúde.

Alta

A previsão médica é que Bolsonaro tenha alta em três ou quatro dias, dependendo da evolução do quadro de saúde. Para isso, o intestino do presidente precisa ser capaz de suportar ao menos a dieta cremosa ou pastosa, com alimentos mais consistentes e que fornecem a quantidade de calorias necessárias para as atividades cotidianas.

Na manhã desta sexta-feira, foi retirada a sonda nasogástrica do presidente, que havia sido colocada na quarta-feira. O tubo entrava pelo nariz e ia até o sistema digestivo para retirar o excesso de gases e de líquido. Com a resposta do intestino, voltou a ser administrada, gradualmente, a dieta líquida.

Nessa quinta, foi estendido o prazo de afastamento de Bolsonaro da Presidência por quatro dias, a partir de uma decisão da equipe médica. A previsão inicial era de que ele reassumisse o cargo nesta sexta. No entanto, a recuperação sofreu uma “intercorrência” na quarta-feira, quando foi introduzida a sonda nasogástrica.

Desde a segunda-feira, Bolsonaro recebia a dieta líquida. Porém, devido ao trauma e à presença de gases, o intestino do presidente deixou de funcionar adequadamente, levando à necessidade de que a alimentação voltasse a ser feita de forma endovenosa. Assim, o vice-presidente, Hamilton Mourão, segue no exercício da Presidência por este novo período.


Agência Brasil e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário