sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Ministro da Educação critica "Escola Sem Partido" e pede foco na aprendizagem

Rossieli Soares relatou que país precisa ter "obssessão" para transmitir conhecimento ao aluno

Resultado de imagem para Rossieli Soares

Rossieli Soares relatou que país precisa ter "obssessão" para transmitir conhecimento ao aluno | Foto: Wilson Dias / ABr / CP

O ministro da Educação, Rossieli Soares, voltou a criticar nesta quinta-feira o projeto de lei Escola Sem Partido, que está em tramitação na Câmara dos Deputados. Segundo ele, o Brasil não precisa de uma proposta legislativa sobre a ideologia nas instituições de ensino e que as autoridades precisam centralizar o foco no que é importante para o país: a aprendizagem.

Soares concedeu entrevista à imprensa após participar de um evento no Palácio do Planalto em comemoração aos 50 anos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Ao ser questionado sobre o projeto, ele disse que não pode haver “ideologização” ou “partidarização” nas escolas “nem de um lado, nem de outro”.

“O que a gente precisa ter é uma ideologia da aprendizagem, uma obsessão por fazer uma educação, uma escola que garanta aprendizagem. Não dá para aceitar que um terço das nossas crianças não saibam ler ao final do terceiro ano, com 9 anos de idade. Não saibam escrever a palavra porco, com 9 anos de idade”, disse. No final do mês passado, o ministro já havia concedido uma entrevista à Agência Brasil comentando o assunto.

De acordo com Rossieli Soares, outras medidas essenciais na área da educação que estão sendo tomadas pelo governo são a reestruturação do livro didático, a base comum dos currículos do ensino médio e uma nova proposta de formação nacional dos professores. “O Brasil precisa discutir qual é a formação ideal dos nossos professores. Nós temos que continuar avançando naquilo que é importante, apoiar as principais ações que vão traduzir o que é e deveria ser o foco da nação brasileira, que é garantir que as crianças aprendam”.

Durante o discurso, o ministro já havia defendido a necessidade de investimento. “Nós podemos fazer de tudo para esse país, mas se as nossas crianças não tiverem dentro da escola aprendendo, nós não avançaremos como país, como nação em nenhum outro aspecto. Não existe país que não tenha feito uma revolução através da educação, pela mão dos professores, educadores e da transformação da oportunidade que podemos dar às crianças e à toda uma nação.”

Após cinco adiamentos, o parecer do relator, deputado Flavinho (PSC-SP), foi lido nesta quinta na comissão especial que trata do projeto, em mais uma reunião marcada pelo embate entre favoráveis e contrários ao texto. No entanto, a votação do PL na comissão foi adiada após pedido de vista coletivo por duas sessões do plenário da Câmara.


Correio do Povo


POLÍCIA

General sabe quem matou Marielle e quer prender todos de uma vez

MUNDO

Coreia do Sul fecha seu maior matadouro de cães
Trem passa por cima de bebê, que escapa ileso na Índia

JORNAL COM TECNOLOGIA

Lançado projeto para visitar o Império Romano através da realidade virtual

CINEMA

Live-action de "O Rei Leão" ganha primeiro trailer

MÚSICA

Maria Rita apresenta a turnê "Amor e Música" em Porto Alegre
Ospa apresenta concerto "Música de Cinema" em Porto Alegre

TV

ABC desiste de série derivada de "The Middle"

ENTRETENIMENTO

Pica-Pau virá ao Brasil em episódios inéditos lançados no YouTube

CULTURA

Museu Anne Frank é adaptado para "nova geração" de visitantes

VÍDEO

Baleia é encontrada morta com 6 quilos de plástico no estômago

VÍDEO

Incêndio atinge prédio na zona Norte de Porto Alegre

Nenhum comentário:

Postar um comentário