quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Brasil perde R$ 60 bilhões por ano com falta de saneamento básico

Nas contas do Instituto Trata Brasil, o país poderia lucrar R$1,2 trilhão em 20 anos.


CÉREBROS DEFORMADOS

XVIII- 17/18 - 06.11.2018

________________________________________

REVOLUÇÃO COMUNISTA EDUCACIONAL

Seguindo-ipsis literis- a cartilha de Antônio Gramsci desde o início do governo Lula, em 2002, o PT promoveu uma exitosa REVOLUÇÃO -COMUNISTA EDUCACIONAL- nas escolas públicas (e em muitas escolas privadas) do nosso empobrecido Brasil.

RESULTADO

O resultado,  fruto de forte e certeira dedicação dos COMUNISTAS PETISTAS, aí está: milhões de jovens estudantes que estão cursando o ensino médio e universidades foram chamados para mostrar, na prática, o quanto seus cérebros foram mutilados e, por consequência, absolutamente incapacitados para poder desenvolver o raciocínio lógico.

SENHORES PAIS, RESISTAM!

Aliás, como bem descreve, no seu recente artigo -SENHORES PAIS, RESISTAM!-, o pensador Percival Puggina:

- Nestes dias, os estudantes brasileiros se tornaram objeto dessa pesada ação política. Professores militantes inseridos no sistema de ensino são missionários da desgraça. As ideias que defendem sempre dão errado. Não há um único caso de sucesso entre suas 42 experiências concretas mundo afora. Falam em justiça e entregam uma nova elite corrupta; falam em liberdade e entregam opressão e paredão; falam em sabedoria e entregam cartilha; falam em pluralismo e entregam histeria e sanção contra toda divergência; falam em prosperidade e entregam cartão de racionamento; falam em democracia e entregam o manjado totalitarismo de sempre; falam em amor e entregam filhos revoltados chamando fascistas os próprios pais.

ESCOLA SEM PARTIDO

Inconformados e/ou revoltados com esta terrível mutilação cerebral desenvolvida abertamente nas escolas do Brasil todo surgiu o movimento -ESCOLA SEM PARTIDO-, com o propósito de enfrentar, não só a contaminação do processo político-ideológico que tomou conta das escolas brasileiras, como deflagrar guerra ao exército organizado por militantes comunistas, travestidos de professores, que vem impondo aos alunos, sem trégua, a sua terrível visão de mundo.

DENIS ROUSSEAU

A propósito disto, lembrei da longa conversa que mantive, anos atrás, em Porto Alegre, com o jornalista Denis Rousseau, autor do livro A ILHA DO DR. CASTRO. Rousseau, que se declarava socialista, me contou que era diretor da France Press e foi para Cuba como correspondente, para sentir, na pele, os maravilhosos efeitos do regime comunista.

ESCOLA AGRÍCOLA

Passados alguns meses após a sua triunfal chegada à Ilha do Dr. Castro, Rousseau fez questão de matricular seu filho (que estava em idade escolar) numa escola agrícola. Como ficava longe de Havana, os alunos da escola ficavam internados durante a semana (2a a 6a feira), retornando para o convívio da família nos finais de semana.


APAVORADO

Resumindo: no primeiro final de semana, quando retornou da escola agrícola, no café da manhã servido pela mãe, o filho de Rousseau, de pronto, levantou da cadeira, colocou a mão aberta, com o dedo polegar na testa, e disse: - PIONEIROS PELO COMUNISMO SEREMOS COMO EL CHE (Guevara). Apavorado, Rousseau me confidenciou que naquele momento deu por encerrada a sua vida de correspondente em Cuba. Viu, claramente, o tamanho da LAVAGEM CEREBRAL que o governo cubano impõe aos jovens, desde o primeiro ano de escola.

ESPAÇO PENSAR +

Eis o texto produzido pelo pensador Márcio Coimbra, com o título -REINVENTAR O SISTEMA-:

A eleição de Jair Bolsonaro para o Planalto é algo muito mais significativo, em termos históricos, do que vem sendo dito. Para além de encerrar mais um ciclo de 30 anos na política brasileira e implementar uma guinada conservadora, tudo indica que o novo governo inaugurará uma nova forma de fazer política, tentando colocar um ponto final no presidencialismo de coalizão em vigência desde o começo da Nova República.

A sistemática atual começou com o governo Sarney, mas encontrou seu auge nos governo Lula e Dilma, quando a pulverização partidária tomou conta do parlamento. A lógica é simples: os partidos ocupam lugar no governo e entregam votos no Congresso Nacional. Mas o mecanismo não funciona de forma tão simples. Caciques tem precedência nas indicações dentro dos partidos e muitos deles mesmo recebendo espaço na Esplanada e estatais, seguem rachados, negociando de forma fatiada.

Tudo isso alimenta o sistema de corrupção, que usa o presidencialismo de coalizão como instrumento de financiamento das estruturas partidárias e das campanhas eleitorais, seja por caixa dois, como no caso mensalão, seja como caixa um, como no caso do petrolão. Fato é que o chamado mecanismo encontrou um modelo especialmente desenhado para prosperar. É o que vem acontecendo sistematicamente no Brasil desde a redemocratização.

Fernando Henrique procurou racionalizar o sistema, blindando algumas pastas e loteando o restante do governo. Ministérios como Saúde, Fazenda, Planejamento e Educação, por exemplo, ficaram blindados. Já outros, como Minas e Energia, Indústria e Comércio, Transportes e Trabalho passaram a fazer parte do balcão do negócios para formação de uma base aliada sólida.

Da mesma forma ocorreu o desmembramento de pastas, como forma de atender os partidos aliados. Figueiredo governou com 16 ministérios, Sarney com 22, Collor reduziu para 15, Itamar voltou modelo de 22 e Fernando Henrique foi além, com` 25. Lula ampliou para mais de 30 e Dilma chegou aos 39. Temer possui 29. Bolsonaro deseja governar com algo em torno de 15 ou 16 ministérios, um sinal de que haverá um movimento contrário ao modelo de presidencialismo de coalizão.

Pela primeira vez desde a redemocratização teremos nomes técnicos ocupando as pastas. Aqueles anunciados até aqui são a prova cabal deste movimento. O grande desafio será enfrentar e reinventar o modelo em voga desde o governo Sarney. A profunda renovação observada no Congresso Nacional pode ajudar nesta tarefa, mas se o objetivo é mesmo fundar um novo sistema, uma reforma política se tornará ponto fundamental neste processo. O diagnóstico está certo: o sistema vigente alimenta a corrupção e precisa ser enfrentado. O próximo passo é saber o exato caminho para reformar o modelo apodrecido. O governo Bolsonaro já apontou sua direção: conservador nos costumes, liberal na economia, reformador na política, reorientando inclusive as relações externas. Uma mudança profunda que moldará o formato do país nas próximas décadas.

FRASE DO DIA

Quem melhor conhece a verdade é mais capaz de mentir.
                                                                      Sócrates

Nenhum comentário:

Postar um comentário