domingo, 20 de novembro de 2022

"Sim" lidera consulta de Musk sobre readmitir Trump no Twitter

 Musk lançou a pesquisa horas depois de restabelecer várias contas de usuários, suspensas em nome da liberdade de expressão

Depois de dizer que ainda não tinha se decidido pela suspensão do banimento de Donald Trump no Twitter, o novo proprietário da rede social, Elon Musk, decidiu lançar uma consulta entre os usuários da rede social para que votassem sobre a reincorporação do ex-presidente americano.

"Readmitir o ex-presidente Trump", publicou na sexta-feira o bilionário, com a possibilidade de votar sim ou não.

Na manhã deste sábado, mais de dez milhões de contas já tinham votado e o "sim" liderava a pesquisa online com mais de 52% dos votos.

A menos de onze horas do encerramento da votação, o "não" contava com 47,7% dos votos, sem que tenham sido informados em termos concretos quais seriam as consequências do resultado.

Musk lançou a pesquisa na noite de sexta, horas depois de restabelecer várias contas de usuários, suspensas em nome da liberdade de expressão.

"É fascinante observar esta consulta!", tuitou neste sábado Musk, que comemorou a expressividade da votação durante a noite - cerca de um milhão por hora.

O Twitter suspendeu Trump em 8 de janeiro de 2021, dois dias após a invasão de seus apoiadores ao Capitólio, sede do Legislativo em Washington, diante do "risco de uma maior incitação à violência".

Musk em seguida abriu a possibilidade de uma volta do ex-presidente republicano ao Twitter em maio. Mas esta medida causou confusão na sociedade a na política americanas, especialmente depois que Trump anunciou que estará na corrida pela Casa Branca em 2024.

Enquanto o candidato republicano comemore que com Musk o Twitter está "em boas mãos", nos últimos dias afirmou, no entanto, que permanecerá em sua rede social, a Truth Social, apesar desta plataforma lhe oferecer um alcance de público muito menor em comparação com o Twitter, onde tinha mais de 88 milhões de seguidores.


AFP e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário