sábado, 19 de novembro de 2022

Saiba quem são os gaúchos que estão na transição de Lula

 Pelo menos 12 integram grupos de trabalho que já contam com quase 300 componentes em 31 áreas


Pelo menos 12 gaúchos fazem parte dos grupos técnicos de trabalho do governo de transição em Brasília, que conta com quase 300 integrantes. Entre eles estão políticos que já ocuparam ministérios nos governos anteriores de Lula e de Dilma Rousseff e políticos de difentes partidos. Os representantes do RS estão espalhados pelas mais diversas áreas, em 31 grupos. O último a ser anunciado foi o economista Márcio Pochmann, para o Planejamento, Orçamento e Gestão.

Natural de Venâncio Aires, Pochmann, que fez carreira acadêmica e política no estado de São Paulo, ocupará a vaga que era do ex-ministro Guido Mantega, que pediu para deixar o cargo na transição, alegando que adversários políticos estavam usando a condenação que recebeu do Tribunal de Contas da União (TCU), no processo das pedaladas fiscais, para tumultuar o processo. Mantega está impedido de assumir cargos públicos até fevereiro de 2030. A alteração foi confirmada no Díário Oficial da última quinta-feira.

O substituto Márcio Pochmann é professor titular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desde 1989 e autor de livros sobre economia, desenvolvimento e políticas públicas. Foi secretário municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade da cidade de São Paulo, na gestão de Marta Suplicy (PT), entre 2001 e 2004, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entre 2007 e 2012. 

O economista deixou o instituto para concorrer pelo PT a prefeitura de Campinas, não obtendo sucesso nas eleições municipais de 2012, nem de 2016 quando tentou novamente o cargo. Em 2018, foi candidato a deputado federal pelo estado de São Paulo, mas também não se elegeu. Pochmann presidiu também a Fundação Perseu Abramo, entidade de pesquisa, estudo e formação política do PT, do final de 2012 até abril deste ano.


Márcio Pochmann foi o último gaúcho a ser nomeado para a transição. Foto: PT / Divulgação
 

Além dos 12 integrantes dos grupos técnicos, a advogada e Procuradora-geral do Município de São Leopoldo, Angelita da Rosa, fará parte da equipe técnica jurídica da transição do Ministério da Saúde. Especialista em Direito Público e Constitucional, ela é mestranda em Direito Médico e sócia-fundadora da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

Na última quarta-feira, o vice-presidente eleito e coordenador da transição, Geraldo Alckmin (PSB), afirmou que a maioria dos intregrantes atua de forma voluntária. Ele priorizará servidores públicos que precisam se afastar de suas funções para se dedicar à equipe, preenchendo 50 cargos oficiais, que poderão receber remuneração de até R$ 17 mil. Destes, Alckmin disse ter nomeado, até agora, 14.

Gaúchos nos grupos de Transição

Ederson Pinto da Silva (Pesca): natural de Pelotas, foi diretor-geral do Departamento de Pesca, Aquicultura, Quilombolas e Unidades Indígenas da Secretaria do Desenvolvimento rural, Pesca e Cooperativismo do RS. 

Fernando Zasso Pigatto (Saúde): é presidente do Conselho Nacional da Saúde. Natural de Júlio de Castilhos, é formado em Gestão Ambiental pela Universidade Norte do Paraná (Unopar). Há mais de 20 anos, iniciou participação em movimentos comunitários em Rosário do Sul. 

Germano Rigotto (Indústria, Comércio e Serviços): ex-governador do RS, eleito em 2002, o caxiense também foi deputado federal durante dois mandatos e deputado estadual em três legislaturas, sempre pelo MDB. No Congresso, foi relator da Lei Rouanet e do Programa de Renda Mínima. 

Giles Azevedo (Minas e Energia): geólogo, é ex-secretário executivo do Gabinete Pessoal de Dilma Rousseff. Os dois se conheceram durante o governo de Alceu Collares (PDT) à frente do Piratini. Desde então, Giles, que presidiu a Sulgás, é homem de confiança da petista.

Jane Berwanger (Previdência Social): professora, advogada e doutora em Direito Previdenciário, principalmente na área do trabalhador rural. Natural de Roque Gonzalez, nas Missões. Atua em Porto Alegre, Santa Cruz do Sul e Candelária. É diretora científica do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

Manuela D'Ávila (Comunicação Social): militantes do PCdoB, a jornalista é nascida em Porto Alegre. Foi deputada federal por dois mandatos, deputada estadual e vereadora na Capital. Em 2018, foi candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) e em 2020 disputou a prefeitura de Porto Alegre.

Marcelo Carvalho (Esporte): porto-alegrense, é idealizador e diretor executivo do Observatório da Discriminação Racial no Futebol. É formado em Administração, com pós-graduação em Gestão do Esporte. Também atua como consultor de marketing esportivo. 

Márcio Pochmann (Planejamento, Orçamento e Gestão): economista nascido em Venâncio Aires, é professor titular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desde 1989 e é autor de livros sobre economia, desenvolvimento e políticas públicas. Foi presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e candidato a prefeitura de Campinas duas vezes pelo PT.

Maria do Rosário (Direitos Humanos): a petista vai para seu sexto mandato de deputada federal. Pedagoga, mestre em Educação e Violência Infantil e doutora em Ciência Política, foi ministra dos Direitos Humanos no governo Dilma Rousseff.

Miguel Rossetto (Desenvolvimento Agrário): um dos participantes do movimento de fundação do PT, o sociólogo nascido em São Leopoldo, foi vice-governador de Olívio Dutra. Foi também ministro do Desenvolvimento Agrário, da Secretaria-Geral da Presidência e do Trabalho e Previdência Social. É deputado estadual eleito. 

Neri Geller (Agricultura, Pecuária e Abastecimento): produtor rural e empresário, natural de Selbach, no norte do RS, foi ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no governo Dilma. Atualmente, o político, filiado ao PP, é deputado federal por Mato Grosso.

Paulo Pimenta (Infraestrutura): deputado federal eleito para o sexto mandato, foi também deputado estadual e vereador em Santa Maria, sua cidade natal. É jornalista formado pela UFSM e técnico agrícola. É presidente estadual do PT.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário