domingo, 20 de novembro de 2022

Rússia e Ucrânia trocam acusações sobre bombardeios contra a central nuclear

 Os projéteis explodiram entre os blocos número 4 e 5 e atingiram o teto de um "edifício especial" próximo aos blocos

O Exército ucraniano e os rebeldes pró-Rússia combatem há meses — Foto: AFP PHOTO/ ANATOLII STEPANOV


Rússia e Ucrânia trocaram acusações neste domingo (20) sobre bombardeios contra a central nuclear de Zaporizhzhia, que fica no sul do território ucraniano e está sob controle do exército russo.
 
Kiev "não detém suas provocações destinadas a criar uma ameaça de catástrofe provocada pelo homem na central nuclear de Zaporizhzhia", afirmou o ministério russo da Defesa em um comunicado
 
No sábado e domingo, as forças ucranianas dispararam mais de "20 projéteis de grande calibre" contra a central, a maior da Europa, segundo a nota. Os projéteis explodiram entre os blocos número 4 e 5 e atingiram o teto de um "edifício especial" próximo aos blocos, acrescenta o texto.
 
A construção abriga, entre outras coisas, um depósito de combustível nuclear, afirmou Renat Karchaa, diretor da empresa russa de energia nuclear Rosenergoatom, citado pela agência oficial TASS. Apesar dos bombardeios, "o nível de radiação na área da central permanece dentro das normas", insiste o comunicado do ministério russo.
 
A agência nuclear ucraniana (Energoatom), porém, acusou Moscou pelo bombardeio contra a central. "Esta manhã, 20 de novembro de 2022, como resultado de vários bombardeios russos, foram registrados ao menos 12 impactos contra o território da central nuclear de Zaporizhzhia", afirmou a Energoatom, que acusou os russos de "mais uma vez colocar o mundo em perigo".
 
O diretor geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, anunciou que "potentes explosões" sacudiram no sábado e neste domingo a central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia. 
 
"Esta notícia é extremamente preocupante. Explosões aconteceram na área desta importante central nuclear, o que é completamente inaceitável", afirmou. A Rússia, que executa uma ofensiva na Ucrânia desde 24 de fevereiro, ocupa militarmente o território da central.  
 
A central fica na região de Zaporizhzhia, um dos territórios que o presidente russo Vladimir Putin anunciou ter anexado. Rússia e Ucrânia trocam acusações há vários meses sobre bombardeios na área da central nuclear. 

AFP e O Tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário