terça-feira, 12 de julho de 2022

Turistas gaúchos retidos por nevasca na fronteira do Chile com a Argentina recebem apoio logístico do governo do Estado

 


O governo do Rio Grande do Sul se mobilizou para prestar apoio logístico a turistas gaúchos retidos na aduana de Paso Internacional Los Libertadores, na fronteira do Chile com a Argentina, devido a uma forte nevasca que bloqueia estradas locais. São mais de 30 pessoas, incluindo idosos, crianças e adultos (um deles uma gestante), procedentes das cidades de Estrela e Teutônia (Vale do Taquari).

A partir de tratativas iniciadas pela Casa Civil do Palácio Piratini, Secretaria das Relações Federativas e Internacionais do Rio Grande do Sul (Serfi), em Brasília, e Ministério das Relações Exteriores (via Embaixada brasileira na capital chilena Santiago), militares do Exército do país andino chegaram ao posto na noite de domingo (10). Eles providenciaram água e comida.

Informações compartilhadas pelo governo gaúcho no início da noite desta segunda-feira (11) detalham que o grupo de turistas gaúchos estava abrigado em um ônibus de turismo que conta com sistema de calefação. Enquanto isso, a Serfi já negociava alojamento para o pessoal.

A turma embarcou no Vale do Taquari na quarta-feira da semana passada, 6 de julho. O roteiro abrangeu a cidade argentina de Mendoza e deveria passar pela chilena Santiago, para uma estadia de quatro dias antes de seguir novamente até Mendoza e de lá pegar o caminho de volta para o Rio Grande do Sul.

Além deles, outros 300 cidadãos de nacionalidades variadas permaneciam retidos a aduana de Paso de Los Libertadores, localizada na cidade chilena de Los Andes. A prioridade é conseguir um local seguro e quente para se hospedar até que o problema climático tenha passado, já que não há condições para retornar e nem avançar.

Situação

O tráfego de veículos e pessoas estava fechado em ambos os lados da fronteira entre Argentina e Chile, também por causa da situação meteorológica desfavorável. A temperatura é negativa e fortes ventos atingem a região, onde caminhoneiros também ficaram isolados em rodovias.

Conforme relatos de integrantes do próprio grupo, do lado de fora as temperaturas na região chegam a -10°C e há pontos de neve acumulada com mais de 1 metro de altura, além da baixa visibilidade pela própria nevasca. Mas a previsão é de que até esta quarta-feira (13) as condições meteorológicas apresentem melhora. Com isso, o grupo de gaúchos já poderá retomar a viagem de volta ao Brasil.


O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário