domingo, 10 de julho de 2022

"Na guerra do bem contra o mal, o bem vencerá", diz Bolsonaro em SP

 Presidente disse ainda que seu governo apoia a família brasileira e rechaçou governos socialistas



O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado para uma plateia de apoiadores em São Paulo que "o bem vencerá mais uma vez", em referência a sua eventual reeleição à Presidência da República. Em seu discurso, o presidente disse ainda que seu governo apoia a família brasileira e rechaçou governos socialistas.

"Somos contra o aborto, somos contra a ideologia de gênero, somos contra a liberação das drogas e somos defensores da família brasileira", disse Bolsonaro. "Nós somos a maioria no país.  A maioria do bem. E nessa guerra do bem contra o mal, o bem vencerá mais uma vez." Ele foi aplaudido pela multidão.

O presidente criticou ainda "as dores do socialismo", em uma fala contra governos de esquerda. "O que nós queremos é paz, é tranquilidade para todos vocês", afirmou.

O presidente disse ainda que os problemas econômicos enfrentados pelo Brasil são pontuais. "Problemas todos nós temos. Os materiais são passageiros, como vocês estão notando nos últimos dias. Os espirituais devemos nos preocupar, sim. Só um homem ou uma mulher com liberdade pode viver em felicidade", afirmou.

Bolsonaro falou ao microfone de cima de um caminhão de som. Depois do discurso, o presidente andou em meio à multidão.

Visita a postos

Nesta sexta-feira, Bolsonaro e o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas (Republicanos), que é pré-candidato ao Governo de São Paulo, visitaram postos de combustíveis em São Paulo.

Eles conversaram com apoiadores, tiraram fotos e perguntaram a frentistas sobre a queda do preço dos combustíveis após a redução de tributos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Em um dos postos, Bolsonaro chegou a perguntar se o local já cumpria o decreto presidencial que estabelece a obrigatoriedade da divulgação dos preços dos combustíveis praticados em 22 de junho, antes da sanção do projeto de lei que altera a forma de cobrança do ICMS sobre combustíveis.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário