sexta-feira, 15 de julho de 2022

JAMAIS TE PROIBIRÃO - 15.07.22

 Por Pedro Lagomarcino


 


Em países que possuem grande apreço pela democracia, a realização das eleições é, exatamente, o clímax do sentimento mais cívico e patriótico que um povo pode ter, pois consagra a democracia, quando permite a seus cidadãos habilitados a votar, exercer efetivamente o direito constitucional legítimo do voto, para escolher seus representantes eleitos.

Nestas manifestações cívicas e patrióticas que são as eleições, a bandeira nacional e o hino representam o que há de mais autêntico nos corações que cultuam estes elevados sentimentos, independentemente, da ideologia política que se escolha e que se queira ter.

E exatamente por assim o ser é que, quando surge resplandecente no horizonte a bandeira nacional, seja hasteada, seja envergada, quer ostentada, quer vestida, ao se executar e se escutar o hino do país em que nascemos, não raras vezes nossa voz embarga, nossos olhos ficam em lágrimas, devido aos fortes vínculos, as sólidas memórias afetivas e ao orgulho que temos da nossa pátria, onde quer que possamos nos encontrar.

Isso tudo vem das nossas tradições cívicas e patrióticas.

É assim que os professores ensinam para seus alunos.

É assim que os técnicos ensinam para seus atletas.

É assim que os atletas representam suas delegações.

É assim que civis e militares aprendem a se colocar em posição de sentido.

É assim que um povo se identifica, seja em tempos de paz, seja em tempos de guerra.

É assim que homens universais se orgulham do pavilhão nacional.

No Brasil, tamanha é a importância dos símbolos nacionais que eles estão protegidos por Lei.

No que concerne a bandeira nacional assim dispõe e assegura a Lei nº. 5.700/71:


"Art. 10. A Bandeira Nacional pode ser usada em todas as manifestações do sentimento patriótico dos brasileiros, de caráter oficial ou particular."


Infelizmente, não é raro haver quem desconheça, mesmo devendo conhecer pelo ofício que exerce e se vocacionou, os símbolos nacionais e seus reais significados.

Verdade seja dita, conhecer as tradições cívicas e patrióticas e conhecer a Lei é dever elementar, e não um direito de uma autoridade constituída.

Não se pode crer que uma autoridade que se vocacionou para prestar a jurisdição, dizer o direito e realizar a justiça ouse demonstrar tamanha ignorância, a ponto de "entender" que a bandeira nacional, mesmo com o significado que tem e por tudo que representa, sirva apenas a um campo político-ideológico, quando em plena constância da democracia e do Estado Democrático de Direito, a bandeira nacional representa todos cidadãos de um país.

Relegar a bandeira nacional ao campo do partidarismo-político é reduzir seu tamanho imensurável e seu valor inoxidável ao tempo.

Que Olavo Bilac, grande poeta brasileiro e autor da letra do hino à bandeira, quando escreveu, dentre outras, as estrofes e o refrão que seguem, possa servir de inspiração para aqueles que ou desconhecem; ou se conhecem, seletivamente, passaram a não mais lembrar do significado e do que representa a bandeira nacional:


"Salve lindo pendão da esperança!

Salve símbolo augusto da paz!

Tua nobre presença à lembrança

A grandeza da Pátria nos traz.


Recebe o afeto que se encerra

em nosso peito juvenil,

Querido símbolo da terra,

Da amada terra do Brasil!


Sobre a imensa Nação Brasileira,

Nos momentos de festa ou de dor,

Paira sempre sagrada bandeira

Pavilhão da justiça e do amor!


Recebe o afeto que se encerra

Em nosso peito juvenil,

Querido símbolo da terra,

Da amada terra do Brasil!"


- Bandeira nacional, jamais te proibirão.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário