quinta-feira, 7 de julho de 2022

FOME DE JUSTIÇA - Gilberto Simões Pires

 A FOME E A MÍDIA

De uns dias para cá, um dos assuntos que ganhou enorme preferência da mídia foi a FOME NO MUNDO. Pois, considerando a importância deste tema, antes de tudo se faz necessário informar e/ou esclarecer que o aumento da FOME NO MUNDO é a CONSEQUÊNCIA DIRETA do maldito LOCKDOWN imposto por maus governantes com apoio contínuo e irrestrito da própria MÍDIA. De novo: a maioria dos meios de comunicação mundo afora teve papel decisivo na lógica que levou a um aumento da FOME. E agora, com muito cinismo e falsa compaixão, tenta esconder o criminoso papel que desempenhou ao longo dos dois últimos anos de pregação do LOCKDOWN.


A FOME NO BRASIL

Ora, diante desta triste realidade, cujos atores perversos deveriam ser responsabilizados pelo crime que cometeram, é necessário esclarecer, ou lembrar, em primeiro lugar, que a FOME NO BRASIL não bateu em nenhum dos lares dos SERVIDORES PÚBLICOS. Isto é algo que só cabe, infelizmente, aos BRASILEIROS DE SEGUNDA E TERCEIRA CLASSE, que sofreram brutalmente pela impossibilidade de PODER TRABALHAR, sendo que um contingente enorme precisou se contentar com o AUXÍLIO BRASIL. 


CRISES DE GRÃOS E DE ENERGIA

Pois, mesmo diante desta situação dramática embalada por uma onda de ELEVAÇÃO CONSTANTE DE PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS, que se agravou ainda mais com a CRISE DE GRÃOS E A CRISE DE ENERGIA, resultantes das SANÇÕES -KAMICAZES- impostas à Rússia, com respingos diretos na Ucrânia, pelos países da OTAN, o governo brasileiro, procurando diminuir o impacto do visível DESAQUECIMENTO DA ECONOMIA tratou de encaminhar ao Congresso uma PEC EMERGENCIAL visando dar algum conforto para um contingente de BRASILEIROS DE SEGUNDA CLASSE.


DERRUBADA DE VETO

Entretanto, o que mais chama a atenção (não da mídia, infelizmente) é que a turma da esquerda, liderada pelo PT, tem feito de tudo para que a PEC EMERGENCIAL não consiga aprovação na Câmara. Mais: ao mesmo tempo que tenta impedir a aprovação, esta mesma e perversa turma não esconde a grande vibração quanto à DERRUBADA DO VETO às Leis Paulo Gustavo e Aldir Blanc 2, fazendo valer o fantástico GASTO DE R$ 7 BILHÕES que serão destinados à ARTISTAS. Pode? 


FOME DE JUSTIÇA

Como se vê, claramente, quando se trata de apoiar os mais necessitados, o PT, a mídia e seus seguidores ideológicos são CONTRA. Já quando se trata de distribuir somas enormes de dinheiro para os AMIGOS ARTISTAS, aí tudo bem. De novo: os R$ 7 BILHÕES que vão parar nas mãos de meia dúzia poderiam amenizar o sofrimento de milhões de brasileiros. Com um agravante: os mesmos que já estão passando FOME, assim como aqueles que vão passar pelo mesmo calvário, são os mesmos que serão obrigados a sustentar, com seus escassos recursos obtidos com o AUXÍLIO EMERGENCIAL, os selecionados ARTISTAS beneficiados pelo VETO. Que tal?  Resumindo: o Brasil tem FOME DE JUSTIÇA. MUITA FOME!


PRIME NEWS



SANEAMENTO



Associação de concessionárias de saneamento estima 28 leilões em 2022 e 2023 (Estadão Conteúdo)


As operadoras privadas de saneamento possuem 199 contratos firmados, entre as modalidades de concessões plenas e parciais, PPPs e subdelegações


 


Segundo a ABCON - Associação de Concessionárias de Saneamento - , de acordo com a publicação “Panorama da iniciativa privada no saneamento 2022”, 28 leilões de água e esgoto devem ser realizados no Brasil em 2022 e 2023, com estimativa de investimentos contratados de R$ 24,5 bilhões.


Até março de 2022 foram realizados 16 leilões de saneamento no país, com R$ 46,7 bilhões de investimentos previstos contratados e 20 milhões de pessoas beneficiadas. Os certames geraram com outorgas R$ 29,5 bilhões de recursos para o poder concedente (estados e municípios).


No comparativo com os demais setores de infraestrutura, o saneamento concentrou 26,7% dos investimentos contratados nos leilões realizados entre 2019 e 2021, aponta a entidade, sendo o setor com o maior valor contratado em processos licitatórios no período.


“Mesmo com as restrições impostas pela pandemia, o setor conseguiu manter a realização dos investimentos frente a quedas significativas em outras áreas, como telecomunicações e transportes”, disse a Abcon em nota. Entre 2018 e 2020, o setor de saneamento manteve um crescimento dos investimentos de 3,8%, enquanto em transportes houve queda de quase 12% e, em telecomunicações, 8%, acrescenta a entidade no documento.


Conforme estudo da entidade, o efeito multiplicador desse investimento traria como resultado cerca de R$ 1,4 trilhão na economia, com a geração de mais de 14 milhões de empregos ao longo do período dos investimentos e quase R$ 90 bilhões em arrecadação tributária.


As operadoras privadas de saneamento possuem 199 contratos firmados, entre as modalidades de concessões plenas e parciais, PPPs e subdelegações.


Pontocritico.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário