quarta-feira, 13 de julho de 2022

Brasil tem 50 dias de estoque de diesel, sem precisar importar petróleo, diz o ministro de Minas e Energia

 


O Brasil tem um estoque de óleo diesel equivalente a 50 dias da necessidade de importação, disse nesta terça-feira (12) o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, argumentando que o País está bem preparado para enfrentar eventuais restrições internacionais.

“Se não puder importar mais petróleo, o Brasil ainda tem 50 dias de diesel sem importar petróleo. Estamos bem preparados, bem posicionados e monitorando atentamente a evolução do cenário mundial”, disse, em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Sachsida ponderou que a dificuldade de refino do petróleo no mundo tem gerado aumento dos preços do combustível.

O ministro também afirmou que o governo é cobrado a fazer “interferência mais forte” no mecanismo de preços da Petrobras. Segundo ele, isso não é possível porque o ordenamento jurídico do país impede ações nesse sentido.

Sachsida foi convocado a prestar esclarecimentos à CAE junto com o ministro da Economia, Paulo Guedes. A convocação foi transformada em convite pelos senadores em junho, após anúncio de reajuste de preços de combustíveis pela Petrobras.

Diesel russo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou no início desta semana que o Brasil pode receber, em até 60 dias, óleo diesel vindo da Rússia.

“Está acertado que em 60 dias [o diesel russo] já pode começar a chegar aqui. Já existe essa possibilidade. A Rússia continua fazendo negócios com o mundo todo”, disse.

O presidente não detalhou os termos desse acordo. Em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que o diesel vindo da Rússia seria “mais barato”.

Em maio, executivos da Petrobras alertaram o governo para o risco de faltar diesel no país se o governo decidisse segurar o preço do combustível. Desde então, o governo e o Congresso aprovaram medidas para tentar conter a inflação dos produtos.

Atualmente, cerca de 30% do diesel consumido no Brasil é importado, porque as refinarias instaladas no Brasil não têm capacidade para refinar tudo. Com isso, a instabilidade do preço internacional do petróleo após a invasão russa na Ucrânia vem impactando o mercado brasileiro de combustíveis.

Na última semana, pela primeira vez na história, o preço do diesel no Brasil superou o da gasolina.

No fim de junho, o presidente russo Vladimir Putin afirmou, em discurso, que buscava redirecionar o comércio e as exportações de petróleo para países dos Brics – grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, em fevereiro, Estados Unidos e países da União Europeia fixaram sanções comerciais e reduziram as importações de petróleo e gás russos.

O Brasil, no entanto, segue negociando com o governo Vladimir Putin. No fim de junho, o presidente da Rússia afirmou a Bolsonaro, por telefone, que o país cumprirá os contratos de fornecimento de fertilizantes, por exemplo.

Em 2021, os óleos combustíveis de petróleo – como o diesel – corresponderam a 7,6% do valor total que o Brasil importou da Rússia. É o segundo item no ranking dessas importações, atrás apenas de adubos e fertilizantes químicos (62% do total em 2021).

Entre janeiro e maio deste ano, o Brasil gastou US$ 3,41 bilhões com importações russas – mais que o dobro do mesmo período de 2021. Com isso, saltou de 12º para 5º no ranking dos países que mais importam dos russos.

O Sul

Nenhum comentário:

Postar um comentário