quarta-feira, 22 de junho de 2022

Valores das bandeiras da conta de luz são reajustados em até 63,7%

 Segundo a Aneel, a bandeira tarifária vermelha patamar 1 terá a maior alta e passará para R$ 6,50 a cada 100 kWh



Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira novos valores das bandeiras tarifárias para o período de julho de 2022 a junho de 2023. A medida foi decidida pela Diretoria Colegiada da agência. A bandeira tarifária de julho será anunciada na sexta-feira (24), já com os novos valores.

A bandeira verde, assim como em anos anteriores, não terá custo para o consumidor e servirá para sinalizar condições favoráveis de geração de energia. Já a bandeira amarela passa de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos no mês, um aumento de 59,3%.

A bandeira tarifária vermelha patamar 1 foi atualizada de R$ 3,971 para R$ 6,50 a cada 100 kWh, alta de 63,7%. No caso da bandeira vermelha patamar 2, o valor aprovado pela Aneel aumenta de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh, reajuste de 3,2%.

Bandeiras tarifárias – julho de 2022 a junho de 2023

• Bandeira Verde
Condições favoráveis de geração
Sem custo adicional

• Bandeira Amarela
Condições menos favoráveis
R$ 2,989 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos

• Bandeira Vermelha 1
Condições desfavoráveis
R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos

• Bandeira Vermelha 2
Condições muito desfavoráveis
R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos

Cálculo

Segundo a Aneel, o recálculo retorna à metodologia seguida pelas bandeiras tarifárias desde 2016, na qual a bandeira vermelha patamar 2 cobre 95% dos eventos históricos conhecidos (e não 100% como no segundo semestre de 2021).

"O acréscimo verificado nos valores se deve, entre outros, os dados do mercado de compra de energia durante o período de escassez hídrica em 2021, o custo do despacho térmico em razão da alta do custo dos combustíveis e a correção pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que fechou 2021 com aumento de 10,06%", afirma a agência em nota.

O que são as bandeiras tarifárias?

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 para sinalizar ao consumidor o custo da geração de energia elétrica no país. A medida também atenuou os efeitos no orçamento das distribuidoras. Até então, as empresas eram obrigadas a carregar os custos, que só eram repassados às contas de luz no reajuste tarifário anual.

A bandeira verde, quando não há cobrança adicional, significa que o custo para produzir energia está baixo. O acionamento das bandeiras amarela e vermelha representa um aumento no custo da geração e a necessidade de acionamento de térmicas, o que está ligado principalmente ao volume dos reservatórios e das chuvas.

R7 e Correio do Povo


Dólar cai para R$ 5,15 com alívio no mercado externo


Tempo segue instável no RS nesta quarta-feira


Comitê da Petrobras votará indicação de novo presidente na próxima sexta-feira



TSE veta coligações cruzadas nas eleições de outubro


Ministério da Saúde confirma mais dois casos de varíola do macaco; total chega a 11


Brasil registra 229 mortes e 64,36 mil casos pela Covid-19 em 24h


Anvisa recebe pedido da Pfizer para dose de reforço contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos


Governo quer criar auxílio para caminhoneiros e ampliar vale-gás


Juíza que induziu menina estuprada a evitar aborto é promovida e deixa caso



Resistências dificultam articulações na disputa ao Piratini


Senado quer ouvir presidente da ANS sobre reajuste aos planos de saúde


União Brasil adia decisão sobre aliança no Rio Grande do Sul


Ao assumir a Famurs, Salerno apoia a inovação nos municípios


Gabi Barbieri e Thais são convocadas para a seleção feminina


PNE entra em estado de alerta para execução das metas


Chapecoense perde para o CRB e segue sem vencer em casa na Série B


Número de alunos com escolaridade interrompida triplicou nos últimos cinco anos, estima ONU


Comitê do Congresso dos EUA analisa pressões de Trump para reverter eleições


Nenhum comentário:

Postar um comentário