quarta-feira, 15 de junho de 2022

Painel falha e Lira adia votação de destaques ao projeto que cria limite para ICMS

 Processo será concluído na manhã desta quarta-feira; deputados aprovaram apenas texto-base da proposta



Uma falha no painel do plenário que registra os votos dos parlamentares na Câmara dos Deputados adiou, nesta terça-feira, a votação do projeto que cria um teto para a cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo.

A proposta começou a ser votada no início desta noite. Após o relator da matéria, deputado Elmar Nascimento (União Brasil-BA), ler o seu parecer sobre as alterações que foram propostas pelo Senado, o presidente Arthur Lira (PP-AL) abriu a votação do texto-base da matéria. Ou seja, apenas as partes do projeto que eram consenso entre Câmara e Senado foram analisadas nessa votação.

Dos cerca de 400 parlamentares que estavam na sessão, 348 deputados votaram e, de acordo com Lira, todos foram favoráveis ao escopo da proposta. Depois disso, o presidente da Casa abriu votação para as alterações que foram propostas pelo Senado, mas que acabaram rejeitadas por Nascimento. Os deputados votariam se concordavam com a decisão do relator ou se incorporavam ao projeto as modificações feitas pelos senadores. A análise durou mais de 30 minutos, mas o painel do plenário não contabilizou os votos. Dessa forma, Lira encerrou a sessão desta terça e convocou uma nova para a manhã desta quarta-feira.

Projeto de lei

A proposta determina que combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo passem a ser considerados como bens essenciais. Assim, a alíquota de ICMS cobrada nas operações que envolvem esses itens não pode ser superior à que incide sobre as mercadorias em geral, que varia entre 17% e 18%. 

Como o projeto altera a forma de cobrança do ICMS, que é um imposto estadual, a matéria prevê medidas de compensação a estados e municípios. Caso seja constatado um prejuízo superior a 5% em relação a 2021, a União vai indenizar os entes federativos.

A compensação será distinta entre estados que têm dívidas com a União e os que não têm. Nos casos de estados devedores, a indenização acontecerá com a amortização dos débitos e essa compensação será aplicada sobre as parcelas que os estados precisam pagar ao Tesouro Nacional.

Para estados que aderiram ao Regime de Recuperação Fiscal, as perdas de arrecadação serão compensadas integralmente. Para os demais entes com dívidas administradas pelo Tesouro Nacional, mas que não têm contrato de refinanciamento, a dedução ficará limitada ao valor que exceder 5% das perdas de receita.

Já para estados sem dívida, a dedução será feita em 2023 com o que o governo federal arrecadar da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM). Além disso, esses entes terão prioridade na contratação de empréstimos no segundo semestre de 2022.

Além disso, em caso de perda de recursos ocasionada pelos efeitos do projeto, a União compensará os demais estados e municípios para assegurar a aplicação dos valores mínimos que a Constituição exige para ações de saúde e educação e para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

R7 e Correio do Povo


Rio Grande do Sul deve ter quarta-feira de tempo firme e ampla variação térmica


Embaixador pede desculpas à família de jornalista inglês por ter falado em corpos


PF suspeita que narcotraficante seja mandante do desaparecimento de Bruno Pereira e Dom Phillips


Juventude sai na frente, mas tem jogador expulso e leva virada do Santos


TSE não vai tolerar que milícias atentem contra a democracia, diz Moraes


PRF empossa novo superintendente regional no Rio Grande do Sul


Bolsonaro veta volta do despacho gratuito de bagagens em voos


AGU diz ao STF que não haverá acordo sobre ICMS do diesel


Edson Brum toma posse como conselheiro do TCE-RS


Brasil ultrapassa 500 mortes por dengue em 2022


Universidades federais sofrem com a falta de mais de 11 mil profissionais


Servidores do BC aprovam continuidade da greve por tempo indeterminado


MDB segue sem definição sobre o que vai fazer na eleição do RS


Agências do INSS fecham no feriado de Corpus Christi


Bahia perde para Chapecoense em casa e se atrasa na luta pela liderança da Série B


RS assina convênios com 21 municípios para construção de microaçudes


D'Alessandro é homenageado com a mais alta honraria da Assembleia do RS


Integrante do União Brasil pede impugnação de possível candidatura de Moro pelo Paraná


Costa Rica vence Nova Zelândia e conquista última vaga na Copa do Mundo


O que se sabe sobre o avião e a tripulação venezuelana e iraniana retidos na Argentina



Auditores-fiscais protestam em Porto Alegre contra "Código de Defesa do Sonegador”


Robô ao telefone, eleições 2022 e Gilberto Gil: conheça as novidades reveladas no Google for Brasil





Nenhum comentário:

Postar um comentário