sábado, 18 de junho de 2022

Onda de calor toma conta da França e da Espanha antes do início do verão

 

Temperatura acima de 40 ºC provocou incêndios florestais



Uma onda de calor prematura para essa época do ano atingiu vários países europeus nesta sexta-feira (17), marcando 44ºC na Espanha, onde incêndios florestais forçaram centenas de pessoas a deixar suas casas, após uma semana de temperaturas elevadas.

As temperaturas também subiram na França e devem alcançar 40ºC no sábado e no o Reino Unido, quando o continente se prepara para entrar no verão boreal.

O fenômeno está de acordo com os alertas dos cientistas de que as ondas de calor serão mais intensas e chegarão mais cedo do que o normal, um resultado das mudanças climáticas.

Na Espanha, os incêndios florestais queimaram quase 11.000 hectares na Sierra de Culebra (nordeste). "Há 8 municípios evacuados e 317 moradores desalojados" nessa zona serrana perto de Portugal, acrescentou o governo regional de Castilla y León.

Além disso, mais de 3.000 pessoas foram evacuadas do parque de diversões Puy du Fou, na região de Castilla la Mancha (centro), devido a um forte incêndio florestal nas proximidades.

No total, "2.500 visitantes, 700 funcionários, as 200 aves, os 55 cavalos e os outros animais foram evacuados e nenhum sofreu qualquer dano", disse a administração do parque em comunicado. Os bombeiros também combateram incêndios em outras regiões, incluindo florestas na Catalunha, onde as condições climáticas complicaram os esforços das equipes.

As temperaturas chegaram a 35°C na maior parte do país e na provincia de Jáen, no sul, chegaram até 44ºC. "Estamos diante de temperaturas que não são mais uma anedota", disse o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, em uma conferência em Madri por ocasião do Dia Mundial de Combate à Seca.

"Hidratem-se"

Na França, mais de dois terços dos departamentos franceses também estavam nos dois níveis mais altos de alerta de calor e, em grande parte do sudoeste, os termômetros excederão 40°C. "Fiquem atentos! Hidratem-se, permaneçam em lugares frescos", tuitou a primeira-ministra Elizabeth Borne, cujo governo lançou uma edição especial sobre ondas de calor.

Matthieu Sorel, climatologista da Météo-France, explicou que "é a onda de calor mais prematura registrada na França". Os departamentos com nível de alerta "vermelho" pediram que os alunos ficassem em casa.

A onda de calor se espalhou do norte da África para a Espanha e a França, mas também afeta a Itália e até o Reino Unido. Várias cidades do norte da Itália anunciaram o racionamento de água e a região da Lombardia pode declarar estado de emergência, pois uma seca recorde ameaça as colheitas.

Pelo terceiro dia consecutivo, o Reino Unido registou o seu dia mais quente do ano, com temperaturas superiores a 30ºC. "Como consequência das mudanças climáticas, as ondas de calor começam antes", disse Clare Nullis, porta-voz da Organização Meteorológica Mundial em Genebra.

"Infelizmente, o que estamos vendo hoje é uma antecipação do futuro" se as concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera continuarem aumentando e empurrando o aquecimento global para dois graus acima dos níveis pré-industriais, acrescentou.

O aquecimento global provoca secas e acelera a desertificação em muitas regiões do planeta, declarou o secretário-executivo da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD), Ibrahim Thiaw, na conferência de Madri. "Não há lugar na Terra para se esconder (...) Nenhum país, rico ou pobre, está protegido" do problema, disse.


AFP e Correio do Povo


Bayern está decidido a contratar Sadio Mané, segundo imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário