terça-feira, 14 de junho de 2022

O que mudou com a substituição do McDonald's por uma rede local de fast-food na Rússia

 Com nova marca, slogan e um cardápio sem Big Mac e McFlurry, as lanchonetes Vkusno & tochka tentam manter os antigos clientes



Após o fechamento da rede de fast-food McDonald's na Rússia, os restaurantes que operavam sob a marca da empresa americana reabriram com uma cara nova no último domingo (12). 

As novas lanchonetes chamam Vkusno & tochka ou “Saboroso e pronto”. O slogan também mudou e faz uma brincadeira com a atual situação: “O nome muda, o amor fica”. A frase foi exposta no restaurante onde ocorreu a principal reabertura da nova hamburgueria russa, na Praça Pushkinskaya, em Moscou. O local também foi onde o McDonald's abriu sua primeira lanchonete no país, em 31 de janeiro de 1990.

O cardápio sofreu algumas alterações, como a retirada do Big Mac e do McLanche Feliz. Já o McFLurry não está mais entre as ofertas de sorvetes na nova rede russa. Os nuggets e os sundaes continuam à venda. 

Os preços do Vkusno & tochka são um pouco mais baixos. De acordo com informações divulgadas pela agência Reuters, um cheeseburger duplo custa 129 rublos (R$11,43) em comparação com 160 (R$14,60) na antiga lanchonete.

A embalagem das batatas fritas, hambúrgueres e bebidas é branca e semelhante à do McDonald's. Já as sacolas para viagem, também são marrons. De forma improvisada, o logotipo da antiga rede de fast-food foi coberto de preto nas embalagens de ketchup e de outros molhos.

Os clientes afirmaram que, embora o sabor da Coca-Cola tenha ficado um pouco diferente, o gosto dos hambúrgueres e das batatas fritas permaneceu o mesmo. Os executivos destacaram que o objetivo é que os clientes não percebam diferença na qualidade ou no ambiente.

Os restaurantes do McDonald's foram fechados em 14 de março em resposta à invasão da Ucrânia pelo presidente Vladimir Putin. No mês passado, a empresa americana vendeu sua rede de 850 restaurantes na Rússia para Alexander Govor, franqueado do McDonald's Corp.

R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário