domingo, 12 de junho de 2022

Livro lançado neste sábado conta histórias de esculturas públicas de Porto Alegre

 Obra escrita pelo historiador José Francisco Alves comemora os 250 anos da Capital



Uma obra literária para celebrar os 250 anos da Capital e deixar um legado permanente à sociedade. Assim pode ser definido o livro A Escultura Pública de Porto Alegre, lançado neste sábado, na Casa da Memória Unimed Federação/RS, no bairro Farroupilha. Com autoria do historiador de arte José Francisco Alves, ela retrata marcos históricos da cidade por meio de suas esculturas públicas. São cerca de 1,9 mil imagens a cores e 412 páginas. A obra em si é reeditada a partir do livro de mesmo nome, lançado no ano de 2004.

Autoridades estiveram presentes para prestigiar o lançamento, feito junto a um coquetel no local. Entre outros aspectos, o livro aborda itens instalados desde 1865 até os dias atuais, assim como informações a respeito da Exposição do Centenário Farroupilha, realizado na década de 1930, quando diversos monumentos foram lançados, assim como um histórico especial sobre a estátua O Laçador. “São 365 verbetes acerca da história de cada uma destas peças de escultura pública”, conta Alves, que se dedica à pesquisa histórica desde meados dos anos 1990.

De acordo com ele, a intenção de revisar a obra e republicá-la em uma edição renovada e de fôlego teve o objetivo de celebrar o aniversário de Porto Alegre. “Minha atividade teórica é a arte pública. Então, a partir deste interesse, fiz um mestrado sobre este assunto, publiquei o primeiro livro e depois fiz um doutorado. Esta é uma obra atualizada e comemorativa”, diz. As empresas Unimed e Sidi Medicina por Imagem apoiaram a realização da obra, cujo valor arrecadado com as vendas deverá servir, conforme o autor, para investir em futuros projetos relacionados à área. 

O livro será vendido nas livrarias do ramo e também no site Estante Virtual. O presidente da Unimed Federação/RS, Nilson Luiz May, ressalta que o livro é “maravilhoso” e uma “obra de arte”. “Nos sentimos extremamente honrados em poder participar deste momento histórico dos 250 anos de Porto Alegre, e fazendo este oferecimento ao município, especialmente à área cultural. Esta obra certamento deverá fazer parte de nossos acervos, em todas as casas que tratarem de memória, de museus, bibliotecas públicas, na própria Prefeitura, e onde for”, ressalta.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário