segunda-feira, 27 de junho de 2022

Estudante de Canoas (RS) é destaque em premiação no México

 Anny Mayumi Fujimoto, de 19 anos, coleciona prêmios nacionais e internacionais com pesquisa na área da biologia



De Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, a estudante Anny Mayumi Fujimoto começa a se lançar para o mundo, guiada pela Educação. Aos 19 anos, a gaúcha já coleciona prêmios nacionais e internacionais, com um inovador estudo. Aluna da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, em Novo Hamburgo, desde 2018, Anny é autora da pesquisa “Avaliação da Atividade Antifúngica do Extrato Alcoólico de Spirulina platensis frente ao Aspergillus spp”, que investiga a ação de um antifúngico, que pode auxiliar no tratamento de doenças, como aspergilose (infecciosa pulmonar).

A orientadora do trabalho é a professora Maria Angélica Thiele Fracassi, ex-aluna e pesquisadora da Fundação Liberato há duas décadas. “Como o projeto foi pensado para ser um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), a Anny veio no início do ano letivo, expôs a ideia e achei muito interessante. Ela sempre esteve disposta e empenhada na realização do trabalho, procurando resultados e repetindo, quando necessário”, lembra.

Mas foi por acaso que a história do projeto começou. A jovem revela que, ao estagiar em uma farmácia, começou a analisar substâncias, e colocar o foco em seu TCC. Foi, então, que descobriu a Spirulina. “Em um dos meus primeiros estágios, encontrei a bactéria que é utilizada nessa minha pesquisa. E foi com a descoberta da Spirulina, uma planta de fácil cultivo e muito barata, que o projeto teve início, em 2020."

Premiações

Com o reconhecimento do trabalho na Infomatrix World Finnals, Anny diz que o sentimento é de gratidão com o resultado, após enfrentar dificuldades para levar o projeto para além das fronteiras. “Foi inesperado receber o prêmio, pois, inicialmente, meu projeto teve a oportunidade de ir para a Rússia, mas foi cancelado (pela guerra com a Ucrânia). Fiquei muito triste, porque era um sonho levar o estudo para fora do país”, diz a estudante.

A participação da jovem no importante evento de ciências do México foi, assim, a concretização de um imenso desejo, proporcionada através do Prêmio Killing de Tecnologia de 2021, viabilizado por meio da Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec), reconhecida feira de Ciências da América Latina, onde Anny obteve o 2º lugar. Essa colocação abriu portas à Infomatrix, que permitiu a Anny aprender, não só com outros projetos, mas, principalmente, com a experiência. “A troca com as pessoas é incrível. Fiquei muito feliz de participar, ver o Brasil ganhando importantes prêmios e a pesquisa brasileira vencendo”, avalia.

A orientadora considera que ver a aluna conquistar relevantes premiações é um misto de felicidade e orgulho. “A gente fica muito feliz pelos alunos porque é uma fase da vida muito importante. Toda essa passagem do adolescente para adulto, o momento da entrada no mercado de trabalho é bem marcante. Então, é uma oportunidade muito boa para eles. E, para nós, professores, é uma satisfação, um orgulho imenso e um reconhecimento também para a escola, que tanto os incentiva.”

Maria Angélica ainda ressalta a importância da ciência para estudantes: “Uma vez que o jovem tem o aprendizado da pesquisa científica, ele terá uma forma diferente de encarar o mundo e resolver problemas. Com a pesquisa, se aprende a escolher as melhores hipóteses. E esse, sem dúvida, é um conhecimento que se leva para a vida.”

Já a aluna, sonhadora e com esperança de um futuro glorioso para a ciência gaúcha e brasileira, estimula quem pensa em seguir carreira na pesquisa: “Mesmo que sinta que você não tem objetivos e recursos, não desista da ciência. Vale muito a pena ‘passar o conhecimento’ e sentir que ele pode ajudar outra pessoa”. Os planos de Anny são de continuar na ciência. Este ano, ela conclui os estudos na Fundação Liberato e, agora, participa do “Prep Estudar Fora”, programa que dá apoio a jovens com excelência acadêmica para cursarem graduação no exterior. Ela se candidatou para faculdades nos Estados Unidos e está aguardando os resultados para saber os próximos rumos, com a certeza de manter a pesquisa em sua vida. “Pretendo continuar trabalhando e desenvolvendo estudos. Tenho muita coisa para descobrir ainda.”

Voluntariado

Quando não está no laboratório, Anny participa de projetos voluntários. Há um ano e meio, é diretora financeira e vice-diretora de logística da Women in Technology (WiTech) do RS, uma organização que visa levar a ciência para escolas públicas. Lidera um grupo de voluntariado, há 5 anos. E, ainda, dá aulas de Inglês a adultos e crianças com deficiência, na Apae; e para crianças de uma escola comunitária no bairro Rio Branco, ambas em Canoas.  

Conquistas

1º lugar na categoria “Projetos Científicos”, da Infomatrix World Finals, no México.
2º lugar em “Biologia Molecular, Celular e Microbiologia”, na Mostratec/NH.
3º lugar no Prêmio Jovem Cientista, da AL-RS.
Credenciamento para o “International Forum for Scientific Youth”, encontro na Rússia.
Credenciamento para a SBPC, reconhecido evento nacional de ciências, no Brasil.

Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário