terça-feira, 16 de junho de 2020

Federasul e prefeitos de regiões de bandeira vermelha discutem impactos de mudanças em regras

A entidade criticou a alteração de indicadores e defendeu a criação de um comitê para validação dos números e tomadas de decisões

Diante das mudanças de bandeiras, dentro do programa de Distanciamento Controlado, do governo do Estado, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (FEDERASUL) e prefeitos das cidades mais impactadas com as novas regras do sistema e passaram a ter bandeira vermelha nessa semana (o que prevê maior risco e mais restrições) estiveram reunidos na tarde desta segunda-feira.
A Federasul criticou também a falta de diálogo. “O governo perde credibilidade quando muda as regras do jogo no meio da partida e toma decisões baseadas em números que não condizem com a realidade”, destacou a presidente Simone Leite, que defende a criação de um comitê para validação dos números e tomadas de decisões.
Segundo a presidente, a entidade defende o funcionamento das atividades econômicas, com responsabilidade. “A Federasul não está desprezando a vida humana, o que nos preocupa muito são os impactos econômicos, que já começam a refletir na vida dos gaúchos”, disse. 
No encontro, os prefeitos também expuseram a "falta de diálogo por parte do Piratini". Eles apontaram ainda a carência de ferramentas de audição e avaliação dos casos registrados no sistema da Secretaria da Saúde. A alteração das métricas do plano é vista pelos gestores como “leviana e generalista”.
Participaram do encontro os prefeitos Evandro Carlos Kuwer, São Marcos; Eduardo Bonotto, de São Borja; Ronaldo Boniatti, de Nova Pádua; Marcio Fonseca do Amaral de Alegrete; Rossano Dotto Gonçalves de São Gabriel e representando o prefeito de Santiago, Tiago Gorski, além do secretário de Desenvolvimento Econômico da cidade, Sadi Gionda. Debateram o assunto os presidentes de ACIs e CICs, e empresários das regiões atingidas pela bandeira vermelha.


Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário