quarta-feira, 25 de março de 2020

Em reunião, Bolsonaro manda Doria "descer do palanque", e governador chama presidente de "leviano"

Encontro virtual reuniu chefes de estados dos Sudeste e o chefe do Executivo nacional

Bolsonaro também reclamou que Doria teria se apoderado do nome dele nas eleições de 2018 e depois
Bolsonaro também reclamou que Doria teria se apoderado do nome dele nas eleições de 2018 e depois "virou as costas" como fez todo mundo
 

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse ao presidente da República, Jair Bolsonaro, que ele deveria "dar exemplo ao País, e não dividir a nação em tempos de pandemia". A declaração aconteceu durante reunião virtual do presidente com os quatro governadores do Sudeste, na manhã desta quarta-feira. Segundo pessoas que participaram da reunião, Bolsonaro se exaltou com a declaração do governador de São Paulo e chegou a chamá-lo de "leviano" e "demagogo".
Bolsonaro também reclamou que Doria teria se apoderado do nome dele nas eleições de 2018 e depois "virou as costas" como fez todo mundo. "Se você não atrapalhar, o Brasil vai decolar e conseguir sair da crise. Saia do palanque", disse Bolsonaro a João Doria.
A fala de Doria durou cerca de 5 minutos. "Sem diálogo não venceremos a pior crise de saúde pública da história de nosso País. Bolsonaro, início na condição de cidadão, de Brasileiro, Lamentando seu pronunciamento de ontem à noite à nação. Nós estamos aqui, os quatro governadores do Sudeste, em respeito ao Brasil e aos brasileiros, e em respeito também ao diálogo e ao entendimento. O senhor, como presidente da República, tinha que dar o exemplo. Tem que ser um mandatário para comandar, para dirigir e para liderar o País e não para dividir", disse o governador paulista.
Ainda segundo Doria, o objetivo principal do governo seria salvar vidas. "A nossa prioridade é salvar vidas, presidente. Estamos preocupados com as vidas de brasileiros em nossos Estados. Preservando também empregos e o mínimo que a economia possa se manter ativa. Os Estados estão conscientes disso e governadores também". O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, também cobrou liderança e responsabilidade do presidente da República.


Agência Estado e Correio do Povo


Sociedade de Infectologia relata preocupação com pronunciamento de Bolsonaro


Porto Alegre confirma primeira morte por coronavírus no RS


Senado e Casa Branca anunciam acordo para conter pandemia nos EUA


Presidente da OAB defende política de isolamento "pautada por cientistas e OMS" como questão ética


Bolsas europeias abrem em alta após anúncio de plano nos EUA


Miami ordena confinamento obrigatório pelo novo coronavírus


Como a quarentena afeta os relacionamentos


Espanha tem 738 mortos em um dia e supera óbitos da China por novo coronavírus


Príncipe Charles testa positivo para o novo coronavírus


Clubes e jogadores terão de negociar salários e férias


Parlamento britânico antecipa fechamento em uma semana por causa da Covid-19


Gigantinho será utilizado para abrigar público mais vulnerável ao Covid-19


Jornais impressos são seguros no toque e no conteúdo sobre o novo coronavírus


Guardiola doará 1 milhão de euros para combate do coronavírus


Chama Olímpica vai ficar no Japão até que Olimpíada aconteça


Governo garante Bolsa Atleta e diz que esporte não perderá recursos


Justiça de SP derruba liminar que proibia cultos e atos religiosos



Coronavírus faz disparar o interesse pelo ouro



Policial militar da reserva não resiste aos graves ferimentos e morre em Porto Alegre



Avanço do novo coronavírus provoca onda global de golpes digitais


Presos são retirados de delegacias pela Seapen e Susepe para atender ordem judicial



Metallica confirma adiamento dos shows no Brasil para dezembro



Senado aprova MP do Contribuinte Legal e texto vai à sanção







Nenhum comentário:

Postar um comentário