quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Campanha de Dilma teve mesada de R$ 100 mil em esquema da Torre Pituba, diz delator

Por Márcio Falcão

O rateio da propina do esquema para a construção da Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador (BA), envolveu até mesada para a campanha que elegeu Dilma Rousseff presidente em 2010, de acordo com nova delação da Lava Jato.

Segundo o empresário Mario Suarez, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto recebeu um total de R$ 2 milhões em vantagens indevidas e ficou acertado que o petista receberia R$ 100 mil por mês para atender demandas da eleição presidencial de 2010.

Suarez afirmou que os pagamentos foram efetivados entre janeiro e setembro daquele ano. Os repasses para Vaccari foram intermediados, diz o delator, por doleiros e até por sua cunhada.

“QUE, posteriormente, os percentuais acima foram alterados porque os dirigentes da PETROS e da Petrobras passaram a cobrar um valor maior do que o acordado; QUE então, Paulo Afonso, para compensar esses pagamentos, deixou de pagar o valor total prometido ao PT Nacional e ao PT Bahia;QUE foram feitos pagamentos a Jogo Vaccari. tesoureiro do PT a título de propina, que totalizaram cerca de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais); QUE à época, ficou definido que Vaccari receberia R$100.000,00 por mês, mas, para atender demandas da eleição presidencial de 2010, Vaccari pressionou e a maior parte dos pagamentos foi efetivada entre janeiro e setembro daquele ano; QUE.posteriormente. Jogo Vaccari se desentendeu com Paulo Afonso, pois este descontou do valor total da propina acordada ao PT Nacional, os valores pagos a maior aos dirigentes da PETROS e da Petrobrás;QUE parte dos valores pagos a Jogo Vaccari era entregue em espécie por Paulo Afonso a pessoas indicadas por ele. como sua cunhada, ou por intermédio de um doleiro de Salvador, Sr. Luiz Eduardo.que fazia operações de dotar-cabo a partir de sua conta da Suíça, no banco UBS”.  

De acordo com o delator, o dinheiro da propina era dividido da seguinte forma: 1/3 para o PT Nacional, representado por João  Vaccari, 1/3 para PETROS, representada por Newton Carneiro e Wagner Pinheiro, e Petrobras, representada por Armando Tripodi, que era chefe de gabinete de Sergio Gabrielli, e 1/3 para o PT da Bahia, representado por Carlos Daltro, que era caixa de campanha de Jaques Wagner. Esses valores, porém, foram reajustados após pressão de representantes da Petros que pediram mais propina, afirmou Mario Suarez.

“QUE posteriormente. os percentuais mencionados foram alterados porque os dirigentes da PETROS e da Petrobrás passaram a cobrar um valor maior do que o acordado, e Pauta Afonso, para compensar esses pagamentos, deixou de pagar o valor total prometido ao PT Nacional e ao PT Bahia”.


O Antagonista


CONGRESSO

Pela 1ª vez, direitos humanos é tema com mais projetos aprovados na Câmara

15 propostas avalizadas em 2019

GOVERNO

Bolsonaro confirma aumento do salário mínimo para R$ 1.045 em 2020

Valor aprovado era de R$ 1.039

INTERNACIONAL

EUA e China assinam 1ª fase de acordo para pôr fim a guerra comercial

Será oficializado nesta 4ª feira

ECONOMIA

Governo chamará 7.000 militares da reserva para tentar reduzir fila do INSS

Força-tarefa atuará no atendimento

GOVERNO

EUA devem dar prioridade à candidatura do Brasil para ingresso na OCDE

Embaixada destaca esforços

INTERNACIONAL

Mais uma base que abriga militares dos EUA é atingida no Iraque

Mísseis caíram ao norte de Bagdá

ECONOMIA

Governo eleva previsão de crescimento do PIB em 2020 para 2,4%

IPCA deve ficar em 3,62% neste ano

MÍDIA

Depois da fuga de Ghosn, Yamaha pede que não entrem em cases de instrumentos

Empresa alertou para os riscos

CONGRESSO

Ex-deputado José Camargo morre aos 91 anos

Foi vítima de insuficiência cardíaca

Opinião

O agro está carregando a economia nas costas, celebra Xico Graziano

País não sofre de doença holandesa


Nenhum comentário:

Postar um comentário