quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Chuva causa transtornos na região Sul do RS

Pelotas foi a cidade que mais registrou pontos de alagamentos nesta quarta-feira

Por Angélica Silveira

Pelotas foi a cidade que mais registrou pontos de alagamentos nesta quarta-feira

Pelotas foi a cidade que mais registrou pontos de alagamentos nesta quarta-feira | Foto: Angélica Silveira / Divulgação / CP

PUBLICIDADE

As chuvas que caem desde o início do mês causam transtornos para a população da região Sul do Estado. Em Pelotas, desde o último dia 7 foram registrados 190 milímetros, sendo que o normal para o mês de setembro são 135 milímetros. Conforme a Defesa Civil do município, nem o Órgão nem os Bombeiros receberam chamados até o final da tarde desta quarta-feira.

No bairro Dunas um canalete foi desobstruído. Foram registrados diversos pontos de alagamentos pela cidade. No bairro Laranjal, o vento não deixou que a água pudesse escoar e encheu a Lagoa dos Patos. As bombas do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (SANEP) estão funcionando em seu limite máximo. “São registrados alagamentos pontuais em toda a cidade principalmente nos bairros Areal, Laranjal e Dunas. São pontos considerados crônicos”, justifica o secretário executivo da Defesa Civil de Pelotas, João Arthur Nascimento.

Santa Vitória do Palmar e São Lourenço do Sul

Conforme a Defesa Civil da região, a queda de granizo em Santa Vitória do Palmar danificou 30 residências. Não há registros de desabrigados e desalojados na cidade. A administração municipal distribuiu lona para os moradores e telhas para as casas que tiveram os telhados atingidos. Houve ocorrência de granizo no início desta semana na área rural de São Lourenço do Sul. Nesta quarta-feira o município ainda realizava o levantamento de danos. Conforme o coordenador municipal da Defesa Civil, Valdoir Ribeiro, há informações de que no interiorda cidade a queda de granizo foi mais intensa. “As lavouras de fumo tiveram grandes prejuízos, algumas chegando a 100% de perdas”, disse.

Dom Feliciano, Turuçu e Rio Grande

Em Dom Feliciano, o problema foi a queda de luz, desde as 6h desta quarta-feira, em função da chuva. Em Turuçu, durante a madrugada desta quarta-feira, foi registrada queda de granizo.

Em Rio Grande, nos últimos cinco dias já choveu 140 milímetros. A previsão para setembro era de 110 milímetros. Não há registro de desabrigados ou desalojados na cidade, apenas alagamentos em vários pontos do município. Por determinação do prefeito Alexandre Lindenmeyer, uma força tarefa foi criada na tarde desta quarta-feira. Há problemas de acesso nas estradas do interior do município. Ações de recuperação serão encaminhadas a partir desta quinta-feira e seguem até o final de semana.

Jaguarão

Em Jaguarão já choveu mais de 80 milímetros nos últimos cinco dias. Alagamentos momentâneos foram registrados em diversos pontos da cidade. Na madrugada da última segunda-feira, um forte temporal de vento atingiu o município causando estragos nas zonas urbana e rural, causando diversos estragos em casas e na rede elétrica.

Foram registradas rajadas de 80 quilômetros por hora. Nos dois cerros — das irmandades e da Pólvora — várias residências tiveram telhas arrancadas. No Caminho Passo de Areia, além da telha, uma parede caiu com a força do vento. A prefeitura distribuiu lonas para as famílias afetadas.


Correio do Povo


ECONOMIA

Marcos Cintra deixa comando da Receita Federal

Presidente diz que secretário sai 'a pedido'

CONGRESSO

Senado aprova a nova Lei das Teles que altera regime de concessão

Pelo texto, agora será por autorização

GOVERNO

Bolsonaro diz que Cintra pediu demissão por divergências sobre reforma tributária

Demissão foi anunciada nesta 4ª

MÍDIA

Reaça & Comuna: Carlos põe em xeque democracia; perfil da Globo xinga criança em desfile

Menino pegou carona em carro de Bolsonaro

GOVERNO

Capes vai ofertar 3,1 mil novas bolsas de estudo até 2020

Receberá R$ 600 milhões em recursos

JUSTIÇA

STJ nega liberdade a casal acusado de invadir celular de Sergio Moro

Os 2 teriam espionado outras autoridades

Opinião

O que o movimento sindical não fez ontem e hoje faz falta, por João Juruna

Frentes de retrocesso predominam

Opinião

O PT ainda não percebeu que o Brasil vai além do “Lula livre”, diz Rodrigo de Almeida

Não participou de evento contra Bolsonaro

Opinião

Investimento em biocombustíveis representa leque de oportunidades, diz Julia Fonteles

Imposto sobre carbono fomenta setor


Nenhum comentário:

Postar um comentário