sexta-feira, 5 de abril de 2019

Irreconhecível, Grêmio perde para a Universidad e se complica na Libertadores | Clic Noticias

Tricolor foi batido por 1 a 0 no estádio San Carlos de Apoquindo
Capitão Maicon teve má atuação na noite desta quinta-feira contra a Universidad Católica
Capitão Maicon teve má atuação na noite desta quinta-feira contra a Universidad Católica | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / CP
Sem inspiração e completamente perdido coletivamente, o Grêmio foi derrotado na noite desta quinta-feira pela Universidad Católica no estádio San Carlos de Apoquindo. O revés de 1 a 0, com gol de Sebastian Saez, complicou o futuro do Tricolor na Libertadores e agora a classificação para a segunda fase depende de um milagre.
Com o resultado, o Grêmio permanece com apenas um ponto. O time acabou sendo beneficiado pela vitória do Libertad (2 a 0) em cima do Rosario Central. Em razão do saldo, o Tricolor ocupa agora a terceira colocação. Para ter chances de chegar à etapa de eliminatória, o Tricolor precisará vencer seus três próximos compromissos e ainda torcer por tropeços dos adversários. Antes de retornar à Libertadores, o time de Renato Portaluppi terá que garantir a passagem para final do Gauchão diante do São Luiz no próximo domingo, na Arena.
Grêmio começa mal e chilenos saem na frente
Irreconhecível. Assim é possível definir a atuação gremista nos primeiros 45 minutos diante da Universidad Católica. Jogando por seu futuro na Libertadores, já que entrou na rodada como lanterna, o Tricolor fez uma primeira etapa abaixo da crítica para um time que esteve nas semifinais do torneio no ano passado.
Escalado com o que tem de melhor, incluindo Montoya, o Grêmio bem que tentou fazer o seu jogo no estádio San Carlos de Apoquindo. A iniciativa, porém, não funcionou. Marcando muito, a Universidad Católica abriu mão de ter a posse de bola para explorar os contra-ataques nos primeiros minutos de partida.
Ainda que tivesse o controle técnico, o Grêmio não conseguia se achar no ataque. Tardelli e Luan estavam mal individualmente e Everton era a figura mais lúcida do Tricolor do meio para frente. O confronto ficou muito disputado a partir dos 10 minutos, com muitas perdas de bola e poucas conclusões a gol. A partir dos 16, a história mudou e foi aí que o time gaúcho se perdeu no primeiro tempo. Após uma boa jogada de Magnasco pela direita, o centroavante Saez aproveitou um bom cruzamento e abriu o placar. Ele pegou a bola na frente da zaga e, de peito de pé, colocou no canto direito de Paulo Victor para fazer 1 a 0.
O Grêmio, que já não vinha bem antes de sofrer o tento, sucumbiu em erros e na afobação. Mesmo com maior posse de bola, o meio-campo gremista fazia questão de entregar a bola para a Universidad Católica. Os erros de passe protagonizados por Michel, Montoya e Maicon colaboraram para a má atuação gremista. Como se não bastasse isso, o desacerto entre os homens de ataque facilitava o trabalho para a zaga chilena.
A dificuldade gremista chegou ao seu ápice a partir dos 30 minutos, quando a Universidad Católica armou um contra-ataque e quase chegou ao segundo gol. Edson Puch foi lançado dentro da área e bateu de sem pulo. Para a sorte do Grêmio, o chute saiu desviado. Aos 37, em um lampejo de bom futebol, Everton partiu para cima da marcação e conseguiu uma cobrança de falta perto da área. Talvez aí estivesse a oportunidade de reação, em uma bola parada. A execução da falta, porém, foi de acordo com a atuação do time gaúcho até então: terrível. Maicon decidiu cobrar e a bola ficou na barreira.
O primeiro tempo chegou ao fim com um placar justo e com um Grêmio com muita coisa para consertar no vestiário. Uma mudança de postura se mostrava obrigatória para ganhar uma sobrevida na Libertadores.
Esforço coletivo para jogar
Grêmio e Universidad Católica retornaram para o segundo tempo sem alterações. Os primeiros minutos da etapa complementar foram marcados pela repetição de roteiro do tempo anterior. O Tricolor com mais posse de bola tentava se aproximar da área, enquanto a Universidad Católica esperava no seu campo de defesa.
Os traços de afobação e falta de inspiração permaneceram no Grêmio na volta do vestiário. O estilo de jogo conhecido por todos foi abandonado e um lance que traduz isso ocorreu aos seis minutos, quando Kannemann, sozinho, saiu do campo de defesa e, a dribles, passou por três marcadores sem receber auxílio dos colegas.
Everton era o único tentava alguma coisa pelo Grêmio e e foi ele quem deu um susto nos chilenos aos 11 minutos. Após uma cobrança de falta, o Tricolor aproveitou o contra-ataque com o atacante. Ele fintou dois marcadores e bateu forte. Para a infelicidade do camisa 11, a bola subiu demais e passou longe do gol defendido por Matías Dituro.
A paciência de Renato Portaluppi com o time gremista se esgotou aos 17 minutos e uma troca dupla foi a tentativa do treinador para mudar a história do jogo. Luan e Tardelli deixaram o gramado para as entradas de Jean Pyerre e André. Logo após as mudanças, a primeira jogada bem trabalhada do Grêmio apareceu aos 19 minutos. Após um tabelamento na entrada da área, André girou rápido e encontrou Cortez sozinho dentro da área. O lateral bateu firme, mas Dituro evitou o empate gremista.
A última cartada de Renato no confronto foi dada aos 27 minutos. Montoya deixou o gramado para a entrada de Alisson. Com a opção pelo meia-atacante, o Grêmio apostava em uma maior movimentação no campo de ataque. A substituição, no entanto, não teve um efeito prático num primeiro momento. Quem se aproveitou da fragilidade gremista foi a Universidad Católica, que quase chegou ao segundo gol aos 31 minutos. Saez recebeu um cruzamento da esquerda e, posicionado entre Geromel e Kanemann, cabeceou. A bola subiu e demais e assustou o goleiro Paulo Victor.
Nos minutos finais, o Grêmio não conseguiu encontrar forças para reagir. Alisson, que entrou para dar mais vida ao ataque, sucumbiu à confusão coletiva da equipe e pouco produziu para mudar o placar. A derrota no Chile apontou um caminho espinhoso para a classificação para a segunda fase.
Libertadores 2019 – Grupo H
Universidad Católica (1)
Matías Dituro; Magnasco, Lanaro, Kuscevic e Cornejo; Fuentes, Luciano Aued, Pinares e José Fuenzalida; Edson Puch (Lobos) e Sebastián Sáez.
Técnico: Gustavo Quinteros
Grêmio (0)
Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Michel, Maicon, Montoya (Alisson), Luan (Jean Pyerre) e Everton; Diego Tardelli (André).
Técnico: Renato Portaluppi.
Gols: Saez, aos 16/1ºT
Cartões Amarelos: Magnasco (U); Geromel (G); Aued (U); Jean Pyerre (G);
Árbitro: Wilmar Roldán.
Local: estádio San Carlos de Apoquindo
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário