sexta-feira, 22 de março de 2019

RELAÇÕES RESTABELECIDAS–Rogério Mendelski | Clic Noticias



Depois de 16 anos o Brasil restabeleceu suas relações cordiais com os Estados Unidos. Este foi o melhor resultado da visita de Jair Bolsonaro àquele país que fora preterido pelos governos petistas, a partir de janeiro de 2003, quando Lula assumiu a Presidência da República, embalado por um esquerdismo tosco e por uma pretensão de liderança na América do Sul jamais realizada. Naquele ano, o comércio total entre o Brasil e os EUA estava na ordem de 26% e hoje a pauta dos mesmos negócios anda em torno de 10%. Quem perdeu e quem ganhou com essa animosidade criada pelos governos Lula e Dilma? Na verdade, não há vencedores e não há vencidos, mas a racionalidade que deveria orientar transações entre nações foi substituída por uma animosidade esquerdopata sem qualquer sentido prático.
Segundo Carlos Barbieri, presidente da Oxford Group, uma empresa de consultoria financeira, quando Lula retirou os EUA das prioridades comerciais do Brasil, a exportação de manufaturados semielaborados brasileiros chegava a 70%. A visita de Bolsonaro, mesmo que tenha sido inicialmente apenas um reaperto de mãos com os EUA, sinaliza que aquele comércio importante poderá ser retomado, com a participação indispensável do empresariado nacional para a celebração de acordos bilaterais e isenção de tarifas. Foi assim com o Chile, a Colômbia, o Uruguai, com resultados interessantes para esses países que, em alguns itens comerciais, triplicaram seus negócios com os EUA.
Quem esperava por decisões importantes e bombásticas terá de esperar um pouco mais, até porque precisamos preparar o nosso parque industrial sem causar pânico entre uma fatia do empresariado que ainda teme uma concorrência de livre comércio. Mas fica um alerta: quem criticou a visita de Bolsonaro aos EUA não deixa de demonstrar um saudosismo daquela velha política que dominou o Itamaraty e reduziu o nosso país a uma república de bananas.
Rogério Mendelski

Nenhum comentário:

Postar um comentário