sábado, 23 de março de 2019

"Quero conversar e saber por que Maia está saindo", diz Bolsonaro | Clic Noticias

Presidente da Câmara disse que pautará e apoiará a reforma, mas não irá mais convencer os deputados sobre a importância do texto
Ao ser questionado em como convencer Maia a reassumir a articulação, Bolsonaro fez uma analogia a um relacionamento amoroso em crise
Ao ser questionado em como convencer Maia a reassumir a articulação, Bolsonaro fez uma analogia a um relacionamento amoroso em crise | Foto: Marcos Corrêa / PR / CP
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira no Chile que quer conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quando voltar ao Brasil, para entender porque ele quer deixar a articulação da reforma da Previdência. Maia disse nessa sexta que pautará e apoiará a reforma, mas não irá mais convencer os deputados sobre a importância do texto. “Quero saber o motivo que ele está saindo, é lógico (que irei conversar com ele). Estou sempre aberto ao diálogo. Estou fora do Brasil e quero saber qual o motivo. Eu não dei motivo para ele sair”, destacou.
Ao ser questionado em como convencer Maia a reassumir a articulação, Bolsonaro fez uma analogia a um relacionamento amoroso em crise. “Só conversando. Você nunca teve uma namorada? E quando ela quis ir embora você não conversou? Estou a disposição do Rodrigo Maia para conversar com ele”, disse.
Rodrigo Maia afirmou que cabe ao governo conseguir os votos necessário para a aprovação do projeto de reforma da Previdência. O deputado disse que continua como grande defensor da proposta e que vai defendê-la na Câmara, mas que o papel de formar maioria é do governo e dos ministros.
“Vou pautar (a reforma) quando o presidente disser que tem votos para votar. A responsabilidade do diálogo com os deputados daqui para frente passa a ser do governo. É ele que vai negociar com os deputados. A reforma da Previdência continua sendo a minha prioridade, mas essa responsabilidade de articular com os deputados para construir uma base sólida é do presidente da República, não do presidente da Câmara. Ele tem que articular diretamente, chamar os presidentes dos partidos, as bancadas, ou chamar e ver no que dá”, afirmou Maia nesta sexta-feira, na porta da residência oficial.
“Meu papel institucional  é que eu vou pautar quando o presidente entender que tem voto”, disse. “Dentro da casa, continuo um grande defensor e influenciando os deputados e deputadas que me ouvem. Agora, quem tem de formar a maioria é o governo. E esse é o papel do presidente e dos seus ministros”, destacou.
Na quinta-feira (21), Maia teria ameaçado abandonar a busca de votos para a reforma na Câmara após o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) fazer uma publicação nas redes sociais com fortes críticas a ele.
Visualizar esta foto no Instagram.
Uma publicação compartilhada por Carlos Bolsonaro (@carlosbolsonaro) em 
R7,  Agência Estado e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário