segunda-feira, 25 de março de 2019

Brasil tem mais de 70 mil casos de tuberculose | Clic Noticias

Este domingo marca o dia mundial de combate à doença
O Brasil registrou 72 mil novos casos de tuberculose em 2018, segundo o Ministério da Saúde. No ano anterior, foram 73 mil. Segundo a pasta, a doença tem relação direta com a pobreza e a exclusão social. Entre os novos casos, 10,4% são presidiários, 8,7% pessoas com HIV, 2,5% população de rua e 1% indígenas, considerados de maior vulnerabilidade à doença.
Neste domingo, Dia Mundial de Combate à Tuberculose, o ministério está lançando uma campanha publicitária para chamar a atenção em relação aos sintomas da doença. O público-alvo são homens entre 25 e 40 anos, os mais afetados pela tuberculose, segundo a pasta.
A tuberculose matou 4,5 mil pessoas em 2017 e 4,4 mil no ano anterior, no país. Os números de 2018 ainda não foram divulgados.
Segundos dados da Secretaria Estadual de Saúde, a situação no Rio Grande do Sul também é desfavorável, com altas taxas de abandono de tratamento e baixa incidência de cura. No ano passado, o Estado estava entre os cinco com maiores taxas de incidência em todo o país, sendo que Porto Alegre e Região Metropolitana, com 70% dos casos.
Os principais sintomas são tosse por três semanas, febre vespertida, sudorese noturna, cansaço e emagrecimento, segundo a pasta. Além do diagnóstico precoce, outra preocupação do governo é informar sobre a importância da não interrupção do tratamento, que dura no mínimo seis meses, para que se alcance a cura da doença. Exames para diagnóstico e tratamento para a doença estão disponíveis no SUS (Sistema Único de Saúde).
A tuberculose é um problema de saúde pública. Trata-se da quarta causa de morte entre as doenças infecciosas e primeira as entre doenças infecciosas em pessoas com HIV no Brasil. De acordo com a nova classificação da OMS (Organização Mundial da Saúde), o país ocupa a 20ª posição na lista dos 30 países prioritários para tuberculose.
Segundo a OMS, a tuberculose é uma das doenças infecciosas que mais matam no mundo. Cerca de 10 milhões de pessoas contraíram a doença no mundo, em 2017, e 1,3 milhão morreram. A principal forma de prevenir a doença é por meio da vacina BCG, disponível na rede pública – em UBS e maternidades. Essa vacina deve ser dada à criança, ao nascer, ou, no máximo, até os 4 anos de idade.
OMS orienta uso de remédio oral
A OMS divulgou na quinta-feira uma nova orientação para o tratamento da tuberculose multirresistente (MDR-TB), recomendando o uso de medicamento oral no lugar de injetável. A agência da ONU argumenta que o remédio é mais eficaz e provoca menos efeitos colaterais. “Medicamentos injetáveis não são mais considerados prioridade no desenho de regimes de tratamento contra esse tipo de tuberculose”, afirmou por meio de nota.
Segundo a OMS, a medida faz parte de um pacote de ações que serão anunciadas para acelerar o fim da tuberculose. Cerca de 54 milhões de pessoas alcançaram a cura da doença nos últimos 20 anos e as mortes caíram um terço. “A maior carga é suportada pelas comunidades que enfrentam desafios socioeconômicos e pessoas que trabalham e vivem em locais de alto risco, mais pobres e marginalizados”, afirmou.
R7 e Correio do Povo
POLÍCIA
SSP já registrou ameaças a mulheres em 80% das cidades gaúchas em 2019
POLÍCIA
Doleiro é encontrado morto em Porto Alegre
RIO DE JANEIRO
Vereador é morto a tiros em Japeri, no Rio
POLÍTICA
Temer passa fim de semana sem visitas e recebe livro
PORTO ALEGRE
Atracadouro Turístico passa se chamar Nico Fagundes
GRÊMIO
“Maior respeito é fazer os gols”, diz Renato após goleada
Pedro Geromel terá de fazer novos exames
POLÍCIA
Torcedor do Grêmio é baleado após briga fora do estádio Alfredo Jaconi
INTER
“Ainda é bastante cedo”, diz Rodrigo Caetano sobre Sarrafiore como titular
Odair destaca trabalho coletivo e evolução de Sarrafiore
GAUCHÃO
Aimoré e Caxias empatam em jogo tumultuado
INDY
Colton Herta faz história em Austin e se torna mais jovem vencedor
PORTO ALEGRE
No Cais, navio Mearim recebe visitantes
Mais de 100 cães e donos fazem corrida na Redenção
VALE DO SINOS
Novo Hamburgo inaugura Centro de Especialidades Médicas
CAMINHONEIROS
Governo monitora movimentação da categoria sobre nova paralisação
SANTA MARIA
Vazamento de gás em evento deixa duas pessoas intoxicadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário