quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

"Quero repetir as temporadas 2016 e 2017", diz Luan | Clic Noticias



Em entrevista ao Correio do Povo, jogador do Grêmio afirma que não pensa em sair para outro time do Brasil
Por
Carlos Corrêa e Rafael Peruzzo
Das pipocas atiradas contra seu carro em 2016 ao status de ídolo, Luan tem uma trajetória de êxitos no Tricolor
Das pipocas atiradas contra seu carro em 2016 ao status de ídolo, Luan tem uma trajetória de êxitos no Tricolor | Foto: Pérsio Ciulla / TXT Sports / CP
A quebra do jejum de títulos do Grêmio há três anos e a sequência de conquistas nos anos seguintes tem no nome de Luan seu principal protagonista dentro de campo. Nenhum jogador causou mais sentimentos e teve uma relação tão intensa com a torcida gremista do que o camisa 7. Das pipocas atiradas contra seu carro por um grupo de torcedores durante protesto no CT, em fevereiro de 2016, ao conceituado prêmio de Rei da América, em 2017, o atleta ajudou a escrever a história recente do clube. Em entrevista ao Correio do Povo, ele conta um pouco dessa trajetória.
“Por vezes a gente não imagina a proporção, o tamanho que tem. A Libertadores, por exemplo, logo após o jogo a gente não tinha muita noção do feito conquistado. Quando chegamos a Porto Alegre, eu vi o tamanho que é jogar no Grêmio e conquistar coisas grandes”, afirma. Os anos de 2016 e 2017 são apontados por ele como os mais exitosos com a camisa do Tricolor. “Foram anos parecidos, o time jogando bem, vencendo títulos importantes e eu ganhando prêmios individuais”, lembra.
Mas bastou um 2018 irregular para virem os questionamentos. O que aconteceu com o futebol de Luan no ano passado? “No período próximo à Copa do Mundo eu senti o pé por causa da lesão (fascite plantar no pé direito), isso me atrapalhou. Nos anos anteriores eu já tinha esse problema, só que eu conseguia jogar. Em 2018, agravou porque rompeu tudo, tive que ficar parado, não consegui voltar no mesmo nível”, conta.
Livre das dores, o início de 2019 tem sido promissor. “Esse ano está tudo bem, quero poder repetir 2016/17. Tenho feito trabalho preventivo”, acrescenta. Ninguém no atual elenco do Grêmio vestiu mais vezes a camisa do Grêmio do que Luan. São 260 jogos, com 71 gols e 53 assistências. É dele também o recorde de gols na Arena: 39.
Luan ainda teve seu nome envolvido em uma possível negociação no início deste ano. O Grêmio cogitou incluí-lo na troca com o Cruzeiro para trazer Thiago Neves. Nas redes sociais, a repercussão foi a pior possível. “Fiquei um pouco chateado com isso (ter o nome envolvido no negócio). Eu quis ficar aqui, queria sair só se fosse para fora, fiquei surpreso, entrei nas redes sociais e vi muita coisa. Eu não pensava em sair para outro time do Brasil. Mas é algo que passou”, garante.
“Eu jogaria em outro time do Brasil, desde que o Grêmio não me queira mais”, completa. O sonho de jogar na Europa segue vivo, assim como uma nova oportunidade na Seleção Brasileira. Luan era um nome forte para disputar a Copa do Mundo da Rússia no ano passado, mas acabou ficando fora da lista do técnico Tite. “Não me sinto injustiçado, mas eu esperava e acho que poderia ter ido”.
Luan encara com bom humor o fato de ainda haver debate sobre sua verdadeira posição em campo. “Do meio para frente, qualquer posição. Tem muita gente que fala que não tenho posição, mas isso é o Renato que me pede, para eu poder me movimentar e ter liberdade, então eu faço o que ele me pede”, explica. 
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário