sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Marco Aurélio envia apuração de Onyx à 1ª instância da Justiça Eleitoral do RS | Clic Noticias



Investigação apura suspeitas de caixa 2 feitas por delatores da J&F ao ministro-chefe da Casa Civil
Pesam sobre Onyx Lorenzoni o relato e planilhas dando conta de pagamentos de R$ 100 mil, em 2012, e R$ 200 mil, em 2014, quando o atual ministro concorria ao cargo de deputado federal
Pesam sobre Onyx Lorenzoni o relato e planilhas dando conta de pagamentos de R$ 100 mil, em 2012, e R$ 200 mil, em 2014, quando o atual ministro concorria ao cargo de deputado federal | Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil / CP
O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quinta-feira, 21, encaminhar ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) a investigação que apura suspeitas de caixa 2 feitas por delatores da J&F ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A decisão do ministro atende a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, fundamentado a partir do novo entendimento sobre o alcance do foro privilegiado, que só deve ser aplicado para os crimes cometidos no exercício do mandato e em função do cargo.
Pesam sobre Onyx o relato e planilhas dando conta de pagamentos de R$ 100 mil, em 2012, e R$ 200 mil, em 2014, quando o atual ministro concorria ao cargo de deputado federal. Onyx admitiu em entrevista a uma emissora de rádio ter recebido R$ 100 mil e pediu desculpas.
“A Lei Maior, ao prever cumprir ao Supremo julgar deputados e senadores, há de ter abrangência definida pela conduta criminosa: no exercício do mandato e ligada, de algum modo, a este último. Neste processo, constata-se que o delito imputado, apesar de supostamente cometido quando o investigado exercia mandato de Deputado Federal, não está relacionado ao cargo atualmente ocupado – ministro Chefe da Casa Civil da Presidência da República do Brasil”, escreveu Marco Aurélio em sua decisão.
“Em síntese, estando Onyx Lorenzoni licenciado do cargo gerador da prerrogativa, cessa esta última. A situação jurídica não se enquadra na Constituição Federal em termos de competência do Supremo. Declino da competência para a primeira instância da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul”, determinou o ministro.
Petição
No início de dezembro do ano passado, o ministro Edson Fachin, do STF, atendeu a pedido feito por Raquel Dodge e determinou a abertura de uma petição autônoma específica para analisar as acusações de caixa 2 feitas por delatores da J&F a Onyx Lorenzoni e a outros dez parlamentares que prosseguirão com foro em 2019.
A petição autônoma é uma fase anterior à instauração do inquérito, quando o parlamentar passa a ser formalmente investigado.
Agência Estado e Correio do Povo

REUNIÃO DE PAUTA: Felipe na Crusoé

Felipe Moura Brasil, Mario Sabino e Diogo Mainardi estão na Reunião de Pauta… [ leia mais]

Só 80 deputados ‘convictos’ a favor da Previdência

 A equipe de Paulo Guedes estima que apenas 80 dos 513 deputados federais estejam hoje “convictos” em votar a favor da reforma da… [leia mais]

BC acha menos de R$ 400 nas contas de Paulo Preto

O Banco Central bloqueou hoje exatos R$ 396,75 do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, acusado de ser… [leia mais]

MADURO ANUNCIA FECHAMENTO DA FRONTEIRA COM O BRASIL

Nicolás Maduro ordenou o fechamento da fronteira terreste com o Brasil, informa Duda Teixeira, na Crusoé… [ leia mais]

“Nossa preocupação é com a integridade dos brasileiros que vivem na fronteira”

Guaidó segue para fronteira com a Colômbia

MADURO MANDA TANQUES PARA FRONTEIRA COM O BRASIL

As emissoras querem dinheiro

“Representantes de emissoras alinhadas ao governo fizeram chegar ao gabinete do presidente sua insatisfação com a liberação… [ leia mais]


Jandira achou a proposta de reforma da Previdência ‘machista’

Jandira Feghali, líder da minoria na Câmara, subiu à tribuna para atacar a reforma da Previdência… [ leia mais]

O sushi pago por você

Humberto Costa, líder do PT no Senado, gastou R$ 56.279,99 de cota parlamentar nos dois primeiros meses deste ano… [ leia mais]

Nenhum comentário:

Postar um comentário