quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Paulo Guedes defende "prensa" no Congresso por Previdência

Futuro ministro de Bolsonaro afirma que governo Temer pode "limpar horizonte" de novas reformas

Resultado de imagem para Paulo Roberto Nunes Guedes

Futuro ministro de Bolsonaro afirma que governo Temer pode "limpar horizonte" de novas reformas | Foto: Marcelo Casal Jr / ABr / CP

O economista Paulo Guedes, futuro ministro da Economia de Jair Bolsonaro, defendeu nesta terça-feira uma “prensa” no Congresso para que o atual texto da Reforma da Previdência seja aprovado até o fim do ano. Caso o tempo se esgote e o projeto não seja votado, a nova equipe econômica apresentará uma nova proposta de reforma, o que poderá atrasar a tramitação em um ano.

Segundo Guedes, a iniciativa mais importante na transição é aprovar. “Na minha cabeça, hoje tem previdência, previdência, previdência. Por favor, classe política, nos ajude a aprovar a reforma, nos ajudem a fazer isso rápido”, enfatizou.

Ele afirmou que o texto atual é menos profundo do que o que estão preparando, mas “limpa o horizonte” para reformas estruturantes a partir do ano que vem. “O ótimo é inimigo do bom, se eu puder aprovar o bom agora, aprova. É a reforma ideal? Claro que não”, disse. “O presidente tem os votos populares e o Congresso a capacidade de aprovar ou não. Prensa neles. Se perguntar para o futuro ministro, ele está dizendo ‘prensa neles’, pede a reforma, é bom para todo mundo”.

O texto proposto pelo presidente Michel Temer deverá gerar economia de pouco menos de R$ 500 bilhões, o que é considerado pouco por Guedes. Sua equipe pretende apresentar uma nova reforma, que implantaria o regime de capitalização (em que a aposentadoria é resultado da poupança do trabalhador) para os trabalhadores que entrarem no mercado de trabalho, além de apartar a previdência de aposentadorias de assistência social. Os detalhes do projeto, no entanto, ainda não foram revelados.


Correio do Povo


Reforma precisa ser encaminhada por presidente eleito, diz Eunício

Nenhum comentário:

Postar um comentário