quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Bolsonaro considera precipitada retaliação do Egito

Após visitar comandante da Marinha, presidente eleito disse que não há decisão sobre mudança da embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém

Presidente eleito quer agilizar escolha de ministros | Foto: Pedro França / Agência Senado / CP

Presidente eleito quer agilizar escolha de ministros | Foto: Pedro França / Agência Senado / CP

O presidente eleito Jair Bolsonaro considerou precipitada a retaliação do Egito ao anunciar o cancelamento da visita do atual ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, ao país em função das declarações que deu sobre a possível mudança da Embaixada do Brasil, em Israel, Tel Aviv, para Jerusalém. Mais cedo, Bolsonaro se recusou a responder a pergunta sobre o assunto.

Após encontro com o comandante da Marinha, Almirante Eduardo Bacelar Leal Ferreira, em Brasília, na tarde desta terça-feira, Bolsonaro disse que não há nenhuma decisão sobre o tema, mas reafirmou o direito de Israel de escolher a capital de seu país. O presidente eleito disse também que seu governo possivelmente terá uma mulher em algum Ministério, mas pela capacitação técnica, não simplesmente por ser mulher.

Jair Bolsonaro também deixou em aberto a indicação do geral Augusto Heleno para o Ministério da Defesa. Existe a possibilidade de Heleno ocupar o Gabinete de Segurança Institucional. Bolsonaro disse seu governo terá 15 ou 17 Ministérios e que pretente anunciar todos os nomes antes de 12 de dezembro, data prevista para sua nova cirurgia para retirada da bolsa de colostomia.


R7 e Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário